ABIMOTA faz balanço positivo do grande prémio

Ciclistas a serem refrescados por um habitante de uma das localidades por onde passaram

Uma “edição de ouro” que quer “continuar a crescer” em 2018. É assim que a ABIMOTA – Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins – resume a edição 2017, a 38ª, do grande prémio de ciclismo, que teve Vicente de Mateos, chefe-de-fila do Louletano/Hospital de Loulé, como vencedor individual

Para João Miranda, presidente da ABIMOTA, o 38.º GP fecha com uma “edição de ouro”, ao “alargar o âmbito territorial da prova e regressar às quatro etapas, o que não acontecia desde 2008, e veio trazer uma ambição renovada à corrida”.

O ano de 2017 fica também marcado pelo patrocínio da PT Empresas (patrocinador principal) e pela cobertura televisiva feita pela Sport TV, pelos seus canais Sport TV+ e Sport TV5, sendo feitos diretos de todas as partidas e chegadas de cada etapa, bem como um resumo diário, ao final da noite. Tudo isto ajudou a “termos mais adesão por parte do público”.

Vital Almeida, diretor da prova, deixa uma nota para uma corrida “sempre competitiva, que se fez sentir ao longo das quatro etapas”. “Foi uma prova para gente rija, com temperaturas elevadas que acompanharam sempre os quatro dias, que teve etapas complicadas, com muito sobe e desce, e acima de tudo com muita competição e ataques contínuos, que só veio valorizar ainda mais os ciclistas presentes”, sublinhou o dirigente.

 

PRÓXIMA EDIÇÃO JÁ EM MENTE

João Miranda já lança a edição do próximo ano: “Para o ano vamos fazer tudo para a prova crescer ainda mais, dando-lhe maior relevância no nosso país”. Está até aberta a possibilidade de avançar para as cinco etapas. “Para já ainda é muito precoce avançar com certezas. Estamos, contudo, a começar a trabalhar nesse sentido e nas datas do próximo ano, que vão manter-se no mês de junho, conforme já é tradição no calendário nacional”.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top