Advogados de Águeda à espera do poder político

Tribunal de Águeda

Os advogados não desarmam na tentativa de reverter a provável decisão de extinguir o juízo de instrução criminal instalado em Águeda e apelam ao poder político municipal que faça pressão junto do governo e do ministério da Justiça

Os advogados reuniram no final da tarde de quinta-feira, na sala de audiências do tribunal de Águeda, por iniciativa da delegação da Ordem dos Advogados de Águeda, presidida por Joaquim Almeida. Nessa reunião estiveram presentes o vice-presidente do conselho regional da Ordem dos Advogados de Coimbra, os representantes das delegações das ordens dos advogados de Águeda, Anadia, Sever do Vouga e Ílhavo e advogados dos municípios abrangidos pela área do juízo de instrução criminal, instalado em Águeda.

(informação completa na edição da semana – versões e-paper e impressa)
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top