Águeda apresentou projetos para cidade inteligente

????

Águeda foi um dos 16 municípios presentes no Portugal Smart Cities Summit, que decorreu na última semana no Centro de Congressos de Lisboa, envolvendo ainda a presença de 26 empresas, 59 startups e delegações internacionais prevenientes da Rússia (Região de Tula), Hungria e Marrocos

A criação de oportunidades ligadas à investigação e à educação, fomentando novos negócios em diversos sectores, está subjacente ao conceito de “Smart City” para além do que vinha sendo implementado, associado à eficiência, à mobilidade, às plataformas digitais e à sustentabilidade.

O Portugal Smart Cities Summit 2018, que decorreu em Lisboa entre quarta e sexta-feira, pretendeu desenhar esse “espaço de oportunidades” que as Smart Cities deverão ser no futuro. O evento incluiu um vasto número de intervenções sobre a organização das cidades no futuro.

A presença de empresas consagradas e de startup – jovens empresas na área da inovação – procurou dar corpo a esse propósito do evento, que ao juntar ainda municípios, o meio académico e científico e empresários quis ser um espaço de partilha de experiências e apresentação de projetos inovadores. Das duas centenas de projetos inovadores, meia centena foram provenientes de startups.

Além de Águeda, estiveram representados os municípios de Abrantes, Albufeira, Braga, Bragança, Cascais, Castelo Branco, Guimarães, Lisboa, Loures, Oeiras, Sintra, Seixal, Fundão, Torres Vedra e Viseu.

CERTAME INTERATIVO

O sector das tecnologias de informação, comunicações e eletrónica (TICE) teve preponderância no evento que debate o futuro das cidades inteligentes. Energia, mobilidade, transportes, água, resíduos, ambiente e habitat foram sectores fortemente representados.

Nos pavilhões da exposição foi recriado o ambiente urbano: estradas, faixas para bicicletas, paragens de autocarro e sinais de trânsito. Os visitantes puderam experimentar circular pelos corredores criados, de carro e em duas rodas, incluindo nestas as bicicletas elétricas. Os visitantes tiveram a oportunidade de experimentar a realidade aumentada e de observar os avanços da tecnologia, por entre espaços ocupados por municípios e empresas. As startups ocuparam o andar de cima, mostrando os seus projetos. A interatividade incluía a possibilidade do visitante preencher um puzzle sobre uma smart city.

Augusto Semedo

(notícia completa na edição da semana – versões e-paper e impressa)

 

Autores
Tags

Notícias Relacionadas

*

Top