Águeda | Concentração de natação adaptada

Concentração de natação adaptada decorreu em Águeda

Cerca de 80 alunos de sete escolas da região, com idades compreendidas entre os 6 e os 20 anos, participaram na primeira concentração de natação adaptada de deporto escolar nas piscinas municipais de Águeda

A iniciativa, organizada pelo Núcleo de Desporto Escolar da Escola Secundária Adolfo Portela (ESAP), promoveu a integração de crianças e jovens, entre os 6 e os 20 anos, com necessidades especiais numa modalidade desportiva e em competição.
Os atletas competiram em crol (batimento de pernas) e costas, sendo que o mais importante foi mesmo o convívio entre os participantes. Tal como explicou Susana Oliveira, professora e coordenadora de educação especial, “a importância maior é eles conviverem uns com os outros, verem que há alunos diferentes e que todos podem participar nesta atividade, que não é exclusiva para um aluno que sabe nadar”.

LIGAÇÃO SOCIAL E COMPETIÇÃO

No sentido de promover esta ligação social entre os alunos e de permitir que os que queriam competir com tempos cronometrados o pudessem fazer, o espaço das piscinas municipais foi dividido em várias zonas, com diferentes atividades a decorrer em simultâneo, tendo em conta as necessidades físicas e cognitivas dos jovens envolvidos.
As crianças e jovens que participaram nesta concentração de natação adaptada têm limitações essencialmente cognitivas, alguns com multideficiência e também autismo, uns mais dependentes do que outros. Uns gostam de nadar e competem e outros gostam do meio aquático e de brincar na água. Une-os a vontade de estar juntos, de brincarem e de competir também. “São escolas que participam sempre nas competições e os meninos já se conhecem e gostam imenso de se encontrar, de conversar uns com os outros, de estarem juntos e saem daqui sempre felizes”, declarou ainda a docente que acompanha os alunos da ESAP nos treinos de natação adaptada.
Paulo Gonçalves, 16 anos, da unidade de autismo da ESAP; Micael Pinho, 13 anos, da Escola de Albergaria-a-Velha; e Tatiana Silva, 16 anos, da ESAP são exemplo dessa vontade de participar. Afirmaram que gostam de nadar e de ganhar as competições.
Hélder Nolasco, coordenador do desporto escolar da ESAP, reiterou que a par da competição de natação, este é um “momento de convívio”, que foi “extremamente positivo”. “A inclusão desta população especial no quotidiano e no desporto em particular é fundamental”, disse o responsável.

TRÊS COMPETIÇÕES POR ANO

Normalmente são realizadas três concentrações de natação adaptada por ano, sendo esta a primeira vez que o referido núcleo da ESAP organiza o evento. A próxima vai decorrer em Vagos e a seguinte em Albergaria-a-Velha.
Para além dos professores de educação especial, a ação contou com o apoio dos alunos do 12.º ano do curso profissional de auxiliar de saúde, da ESAP, num total de 16 estudantes, que ajudaram na dinamização das atividades. “É importante que eles vejam como os outros alunos são e como os podem ajudar”, disse Susana Oliveira.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top