Águeda quer estudar “implicações legais” para denunciar acordo com a AdRA

A Assembleia Municipal de Águeda aprovou, por unanimidade, uma “proposta de recomendação” para que o Executivo municipal, liderado por Gil Nadais, “mande efetuar uma auditoria e avaliação, por entidade independente, de reconhecida idoneidade e capacidade técnica, sobre o enquadramento legal, vantagens e desvantagens da denúncia do acordo entre este Município e a AdRA”.

Os subscritores, Pedro Vidal e Vasco Oliveira, respetivamente presidentes das uniões de freguesia Préstimo/Macieira de Alcoba e Belazaima/Castanheira/Agadão, pretendem que “com clarividência e sem penalizações legais, se possa ponderar e decidir entre manter este acordo ou denunciá-lo” com a AdRA – Águas da Região de Aveiro -, “assumindo de novo o Município a gestão da produção e distribuição de água potável e saneamento básico no nosso concelho”.

(MAIS INFORMAÇÃO NAS VERSÕES E-PAPER E IMPRESSA)

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top