ALBANO MELO: presidente da direção do ACTIB “Temos feito um esforço gigante para que a pista continue a ser a melhor do mundo”

Albano Melo

Dos pilotos ao público, da organização ao impacto na cidade e na região. Albano Melo, presidente da direção do ACTIB – Águeda Action Club – antecipa perspetivas e apresenta ideias para um Grande Prémio de Portugal sempre em crescendo.

P> Quais são as novidades principais que esta prova traz?
R> Traz algumas novidades em termos de pilotos, que é importante para que o público fique agradado com o espetáculo. A presença de pilotos portugueses está garantida, desde logo na classe rainha, mas também em MX2, MX Woman e na prova do europeu. O leque de pilotos portugueses é muito forte este ano, são pilotos que têm renome internacional. A maior parte já faz provas pelo mundo. Esperemos que se consigam qualificar para as provas finais, para que o público puxe ao máximo pelos pilotos portugueses.

P> É difícil, habitualmente, os pilotos portugueses participarem?
R> O nível competitivo é altíssimo, portanto a seleção é muito grande. Por vezes, há a coincidência de provas internacionais com as do campeonato do mundo, por isso não a fazerem todas. Neste caso, fez-se um esforço muito grande, através do ACTIB, da federação e do próprio governo, criando condições, incluindo financeiras, para que viessem mais pilotos desta vez a Águeda. Vai ser um espetáculo bastante interessante.

ESPANHÓIS ACOMPANHAM CAMPEÃO

P> Nos últimos anos houve um aumento do número de espetadores estrangeiros, de forma muito significativa, face aos anos anteriores. Estará garantida novamente nesta edição?
R> Neste momento está mais que garantida. Está mesmo um pouco acima do que tínhamos inicialmente previsto. Por uma razão: o mundial não vai passar em Espanha, por isso vamos ter não só muitos pilotos como também muitos adeptos.

P> E os espanhóis têm um campeão do mundo em MX2, que o ano passado ganhou em Águeda…
R> Exatamente. Temos nas nossas redes sociais o Bruton, que infelizmente está lesionado (vamos ver se ainda consegue correr cá) e temos o Prado, em MX2, que é um piloto fabuloso, campeão do mundo…

P> É o mais jovem entre os que competem em MX2.
R> É o mais jovem, exatamente. É um piloto que tem uma apetência e um gosto particular pela pista de Águeda. Tem feito a divulgação da prova, ele mesmo… portanto, está tudo reunido para que venha muita gente.

HERLINS TALVEZ, CAIROLI FANTÁSTICO

P> No entanto, o campeão do mundo de MXGP, o Herlings, teve uma lesão que o tem impedido de competir. Vem correr a Águeda?
R> O Herlings teve uma lesão e está em fase de recuperação. Provavelmente virá a Águeda correr, já esteve inscrito na prova do último fim-de-semana, em Itália, mas são coisas que não podemos decidir e não temos essa certeza. Obviamente, teremos muito gosto que a KTM se possa fazer representar pelo campeão do mundo.

P> O impedimento de Herlings fez também com que o campeonato esteja este ano mais equilibrado e aberto.
R> A luta é diferente. O Cairoli é um piloto fantástico, muito experiente, já tem alguma idade mas continua a ser um piloto que dá espetáculo em qualquer prova e em qualquer tipo de pista.

P> Sim, mas Cairoli tem a oposição de Tim Gajser, da Honda, 11 anos mais novo. É mais um jovem com grande potencial e a KTM não tem a vantagem de há um ano.
R> O Gajser é mais um jovem com grande potencial. Adaptou-se muito bem e está a fazer um campeonato muito bom. Tem havido provas com muita competitividade, o que eleva o interesse no mundial.

 

 (leia mais na edição da semana – versões e-paper e impressa)
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top