Albergaria-a-Velha: Registos do arquivo municipal em portal europeu

Arquivo Municipal de Albergaria-a-Velha

O Arquivo Municipal de Albergaria-a-Velha é a primeira entidade local do país, com software livre, a disponibilizar registos no Archives Portal Europe, um portal que faculta o acesso a documentação de arquivo de várias entidades de 34 países europeus

Das 30 organizações portuguesas presentes, onde se incluem autarquias, universidades, fundações, associações, entre outras, o arquivo Albergariense é o único, até agora, a disponibilizar informação sem qualquer custo associado à adesão.
O Portal Europeu de Arquivos permite que utilizadores de todo o Mundo possam encontrar informação de forma mais eficiente entre milhões de documentos de arquivo guardados em centenas de serviços. Assim, em vez de visitar vários sítios Web, o utilizador pode encontrar a informação necessária num único lugar, poupando tempo no processo de pesquisa.
Para o Arquivo Municipal de Albergaria-a-Velha, esta é uma oportunidade para divulgar a sua documentação a um público mais vasto e de forma completamente gratuita, na medida em que o software livre que utiliza é facilmente adaptado aos critérios do Archives Portal Europe.
O equipamento Albergariense está agora a trabalhar em parceria com outras entidades nacionais, para que estas possam também adaptar os seus arquivos ao regime opensource e assim pouparem milhares de euros, por ano, na sua gestão e manutenção.
Após a adesão ao Archives Portal Europe, o Arquivo Municipal de Albergaria-a-Velha pretende, num futuro próximo, integrar a Europeana, a plataforma que reúne a informação de arquivos, bibliotecas e museus de todo o continente europeu.
Para Delfim Bismarck, vice-presidente e vereador da cultura, “o Arquivo Municipal está na vanguarda dos arquivos portugueses. Depois de ser o primeiro arquivo municipal do Distrito de Aveiro a aderir à Rede Portuguesa de Arquivos, dá agora um novo passo com a adesão ao Archives Portal Europe. Para além do software livre e gratuito de que dispõe, está neste momento a construir uma base de dados que visa a identificação de todos os cidadãos naturais do concelho desde o início do século XVII até à atualidade, num trabalho único a nível nacional.”

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top