Alcafaz é a primeira “aldeia segura” do distrito

O secretário de Estado da Proteção Civil recebido pelo presidente da Câmara na chegada a Alcafaz

O projeto “Aldeia Segura, Pessoas Seguras” foi apresentado no sábado em Alcafaz (Agadão) onde decorreu também a realização de um simulacro, com a presença do secretário de Estado da Proteção Civil

 

O projeto insere-se numa das medidas que o governo tem estado a implementar para minimizar o impacto dos incêndios, visando a segurança de pessoas e bens.
Na ocasião, Vasco Oliveira, presidente da União de Freguesias de Belazaima, Castanheira e Agadão, enalteceu as pessoas de Alcafaz, que “tomaram a iniciativa e avançaram com a proposta, desafiando a autarquia e arregaçando as mangas, unindo esforços para que a ideia se concretizasse”. Para eles, Vasco Oliveira pediu um forte aplauso, que foi correspondido pelos presentes, que encheram o recinto.
O autarca deixou uma palavra de reconhecimento ao presidente da Câmara Jorge Almeida, pelo “muito que tem ajudado os Bombeiros de Águeda, bem como a unidade local de proteção civil” e pelo “muito que tem feito ao longo dos anos pela proteção civil do concelho”.

SEGURANÇA PARA
OS RESIDENTES
E MAIS TURISMO
Jorge Almeida defendeu a aposta na prevenção, frisando que “compete a cada um cuidar das suas parcelas e mantê-las limpas, o que em grande parte dos casos se torna uma tarefa difícil para se fazer sozinho. Tem que se apostar em alguém que cuide do que é de todos e faça aumentar o rendimento agrícola/silvícola”, acrescentou o edil.
O presidente da Câmara destacou ainda o primeiro combate, que é levado a cabo pelo GIPS, sedeado no aeródromo do Casarão, sublinhando que o concelho de Águeda “é o espelho do país: uma zona mais litoral, densamente povoada e com muita atividade geradora de riqueza (indústria, serviços) e outra zona mais interior, de serra, desertificada e envelhecida”. Acrescentou: “Alcafaz, com 25 habitantes, é uma dessas aldeias, capaz de atrair turistas pela sua beleza e sossego, mas que só virão se sentirem segurança”.
Considera o autarca que “este projeto serve para dar maior tranquilidade aos residentes, mas também para potenciar a atratividade desse turismo, dado situar-se a 15 minutos de Águeda”.
ANTÓNIO ALBERTO
SANTOS (textos)

(Leia mais na edição e-paper e impressa)
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top