ARCOR com “objetivos ambiciosos”aos 39 anos

ARCOR comemorou 39 anos

A ARCOR apresentou-se, no domingo, com objetivos “ambiciosos”, no almoço comemorativo dos seus 39 anos, que serviu para angariar fundos para uma nova viatura

Mário Marques, que assumiu a presidência da instituição pondo fim ao impasse diretivo que enfrentava, elencou esses desafios, que passam por conseguir o equilíbrio financeiro da instituição, que depende do apoio da Segurança Social e das mensalidades dos utentes. “É necessário dinamizar eventos que gerem receitas”, defendeu o dirigente.
Mas da lista dos projetos ambiciosos revelados por Mário Marques fazem ainda parte a remodelação do hangar da canoagem (projeto em fase de aprovação) e a aquisição de uma nova viatura, tendo as receitas do almoço de aniversário sido canalizadas para este fim. “Um dos veículos teve três avarias no mesmo dia”, dizia o presidente da direção durante a sua intervenção.

Alargamento do centro de dia

Obras no edifício e o alargamento da capacidade do centro de dia de 30 para 40 utentes completam a lista dos objetivos da instituição, que tem um orçamento de meio milhão de euros para este ano.
Mário Marques enalteceu, por fim, o exemplo de associados que, com as suas iniciativas, contribuem para ajudar a instituição: Hercilio Almeida que escreveu dois livros e ofereceu as receitas à ARCOR e a Alice Ferreira que disponibiliza, semanalmente, 16 horas para ajudar no centro de dia.
Manuel Ruivo, diretor da Segurança Social de Aveiro, referiu-se essencialmente ao papel e importância que instituições como a ARCOR desempenham, nomeadamente na criação de emprego e no incentivo da economia local.
Humberto Moreira, em representação da Assembleia Municipal, referiu-se ao contributo da ARCOR e de outras instituições do género para a “melhoria da qualidade de vida das populações”.
Edson Santos, vice-presidente da Câmara de Águeda, agradeceu, em nome do município, o trabalho da instituição e exortou à participação nas suas atividades, defendendo ser esse um dever de todos.
Sérgio Neves, presidente da União de Freguesias de Travassô e Ois da Ribeira, manifestou o seu orgulho enquanto autarca de ter uma instituição como a ARCOR na sua freguesia e defendeu um maior apoio à instituição.
Carla Tavares, ribeirense e deputada à Assembleia da República, também enalteceu o papel que instituições como a ARCOR desempenham nas economias familiares, destacando o importante papel da ARCOR ao nível da empregabilidade das mulheres.

“A coragem que outros não tiveram”

Paulo Santos, vice-presidente da assembleia geral, recordou as palavras que teve há um ano por ocasião da comemoração dos 38 anos, para agradecer a Mário Marques e restante equipa terem avançado com uma lista, elogiando “a coragem que outros não tiveram”. O vice-presidente da assembleia geral falou ainda de um “cenário difícil” para a atual direção e apelou aos sócios para pagarem as suas cotas.

Envolvimento diário de duas centenas de pessoas

A Arcor conta com 23 colaboradoras ao seu serviço, 16 crianças na creche e16 crianças no pré-escolar, 30 utentes no centro de dia e 28 utentes de serviço de apoio domiciliário. Tem também um serviço de fornecimento de 10 refeições diárias ao pré-escolar de Espinhel e tem 10 voluntárias no projeto “Cantinho das senhoras”. Tem também o projeto “Para SI” destinado à comunidade em geral. Com a secção de canoagem, com cerca de 50 pessoas entre atletas e responsáveis pela secção, estamos a falar de um envolvimento diário de quase 200 pessoas.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top