“As crianças não estão felizes!”

Vasco Oliveira com Paulo Matos durante a última sessão da Assembleia Municipal

“As crianças não estão felizes!”. Vasco Oliveira, presidente da União de Freguesias de Belazaima, Castanheira e Agadão, mostrou na Assembleia Municipal o seu desagrado pelo encerramento das escolas de primeiro ciclo.

“Quais o melhoramento que se fizeram sentir? Quais os benefícios? Quais as poupanças? – questionou o autarca. “Com polos educativos construídos de fresco temos que ser solidários… mas, e as crianças?”
O autarca foi perentório: “As crianças não estão felizes, não se estão a divertir como o faziam nas escolas de origem, não têm uma alimentação tão boa como tinham anteriormente, não aprendem melhor!” Prosseguindo: “Foi-nos dito que seria para melhorar o ensino, com acesso a novas realidades, novas tecnologias, melhores condições, turmas de uma só classe… Onde está tudo isso?”
Segundo Vasco Oliveira, há uma turma “onde existe um professor para várias classes! Isto é pedagógico? Os computadores estão fechados, a biblioteca também…” Para o autarca, “quem ficou a perder com todo este processo foram as crianças, que tinham qualidade de vida e qualidade de ensino, que eram acompanhadas mais de perto, e as famílias e a união de freguesias, que viu com isto acelerar o processo de desertificação”.
As declarações de Vasco Oliveira não motivaram qualquer comentário do executivo.

“ABUTRES” NAS IPSS’S

Para Vasco Oliveira, existe “uma guerra silenciosa, um vale tudo, alguns abutres a movimentarem-se ligeiramente pelo meio”, no âmbito das IPSS – instituições particulares de solidariedade social – do concelho. “Não é nada saudável”, referiu o autarca, temendo “mais proporções”.
Jorge Almeida lembrou que esta matéria é um bom desafio para a União das IPSS.

Foto: Vasco Oliveira com Paulo Matos durante a última sessão da Assembleia Municipal

(reportagem completa da Assembleia Municipal na edição da semana – versões e-paper e impressa)
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top