Aumento do gás natural leva AEA a protestar junto de Sócrates

A Associação Empresarial de Águeda (AEA) insistiu junto do primeiro-ministro, em carta enviada este mês, considerando “abusivo o aumento do preço do gás natural”.

“Com estes aumentos não há competitividade Internacional que resista, estando em causa a sobrevivência de milhares de PME’s nacionais e, consequentemente, o aumento do desemprego”, refere a AEA.

Na carta, assinada pelo presidente Ricardo Abrantes, a AEA manifesta “o mais vivo repúdio pelos aumentos superiores a 50% verificados desde 1 de Janeiro do corrente ano. Até 30 de Junho de 2010 as tarifas do gás natural aumentaram mais de 18%, em Julho passado cerca de 15% mais e em Agosto mais 17%”.

Inconcebível e caricato é como a AEA se refere ao problema na carta enviada ao primeiro ministro, ao qual solicitam duas decisões: “A redução imediata em 30% das tarifas do gás natural para clientes empresariais (com consumos anuais acima dos 10.000 m3)” e o “regresso à política do preço do gás natural regulado e definido pelo Ministério da Economia”.

(informação completa na edição impressa)

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top