Bom dia Águeda madrugador

Publicações de Alberto Marques no Facebook

Quem assistiu ao nascimento e disseminação das rádios locais pelo país, na segunda metade dos ano 80 do século XX, lembrar-se-á do programa “ Bom Dia Águeda ”, emitido pela Rádio Botaréu, que entrava pelos estabelecimentos comerciais e pelas casas dentro… Sinal dos tempos, há hoje um outro “ Bom dia @ Águeda ”; como o @ indicia, é pela porta da Internet que se dá a conhecer. Não terá o impacto do primeiro na comunidade mas, sendo também sinal dos tempos, tem inúmeros seguidores de entre os que não prescindem de utilizar as redes sociais

Alberto Marques – empresário, dirigente associativo e político – faz a sucessão do “Bom dia Águeda”. Nos tempos da rádio, a voz de Jorge Castanheira projetava o trabalho empenhado, com muito experimentalismo à mistura, de uma vasta equipa num projeto coletivo; hoje, o projeto pessoal de Alberto Marques, que começou como uma brincadeira, conta já com um espólio de registos fotográficos que é um diário da história de Águeda. Oferece perspetivas sobre a cidade que ainda não acordou, da fotografia à observação crítica, não necessariamente “do contra” mas sobretudo construtiva.

ACORDAR CEDO “NÃO CUSTA NADINHA”

alberto marques 02

“Costumo incluir imagens das situações que me chama a atenção”

O “Bom dia @ Águeda” é madrugador, mais, muito mais, que o “Bom dia Águeda” que preenchia as manhãs. Alberto Marques é madrugador, dir-se-á que abusa em ser madrugador. “A explicação – se é que pode chamar-se explicação – é simples: sou sócio de uma pequena empresa familiar, onde há sempre trabalho para fazer muito para além do habitual ‘from nine to five’. Antes de casar e ter um filho pequeno (o Francisco tem quase cinco anos), tinha por hábito fazer serões, ficando a trabalhar até bastante tarde. Agora, inverti os hábitos, ou seja, vou trabalhar mais cedo e regresso a casa mal encerro a empresa, por volta das 18h30. Assim, ainda chego a tempo de brincar com o meu filho, dar-lhe banho, jantar em família, e ajudar a adormecê-lo…”
Não é apenas a vida familiar que beneficia, de acordo com Alberto Marques. “Em termos de trabalho é também uma opção excelente. Entre as seis e as oito e meia da manhã o telefone não toca, não aparecem clientes, e consigo despachar imensos assuntos pendentes, fazer orçamentos, responder a emails, organizar papéis e tarefas, e ainda me sobra tempo para dar uma espreitadela às notícias na internet e ao Facebook”.
O empresário aguedense garante que “acordar cedo não custa nadinha! É uma questão de hábito…” Confessa, porém: “Às vezes ainda penso duas vezes antes de me levantar mas, mal chego à casa de banho, até me pergunto porque é que não me levantei antes”.

SEM COMPROMISSO OU OBSESSÃO

O conteúdo mais madrugador do Facebook foi registado às 4h30 mas o normal é madrugar entre as 5h45 e as seis horas. O tempo de sono é basicamente o mesmo, porque adormece mais cedo.
Quando sai de casa “por norma” encontra “uma ou duas carrinhas de padeiros no mesmo sítio e às seis horas já os portões da câmara estão abertos e saem as equipas de limpeza para a rua. Às vezes, converso com esses trabalhadores. E há um ritual depois das seis: compro o jornal e tomo um café numas bombas de gasolina, onde já aparece um grupo de pessoas que entretanto começou a encontrar-se e a conversar”.
As fotografias que tem publicado no Facebook logo ao amanhecer “nasceram de forma natural e sem qualquer tipo de compromisso ou obsessão”. Alberto Marques justifica: “Ao sair de casa para o trabalho, tinha – e tenho – por hábito dar uma volta pela cidade para ver como as coisas estão. Talvez fruto da minha atividade autárquica e associativa, mas também como cidadão interessado pela minha terra, tenho curiosidade em conhecer novos equipamentos, intervenções, alterações, obras, arranjos, bem como eventuais problemas que vão surgindo. Ao aperceber-me, por exemplo, de situações de pavimentos danificados, novos estabelecimentos comerciais, comportamentos louváveis (ou reprováveis), gosto de partilhar a minha opinião com os amigos com quem partilho as redes sociais”.

DETALHES COM FEEDBACK

"Nunca imaginei que tanta gente prestasse atenção"

“Nunca imaginei que tanta gente prestasse atenção”

“Normalmente, costumo incluir imagens das situações que me chamam a atenção por uma ou outra razão, outras alusivas a eventos marcantes na cidade, efemérides, ou simples apontamentos estéticos de pormenores que considero interessantes”, refere o empresário e dirigente, atual presidente da assembleia geral da ACOAG e ‘cabeça de lista’ da coligação PSD/CDS-PP à Assembleia Municipal, nas mais recentes eleições autárquicas. “Por vezes são as flores de uma rotunda, ou os detalhes arquitetónicos de um edifício antigo, ou o cartaz de um evento que aproveito para promover… Outras vezes, ilustro um reparo ou sugestão a alguma intervenção menos conseguida por parte da autarquia. Recordo-me, por exemplo, que as obras de regeneração urbana no centro de Águeda foram um filão inesgotável de ideias, dada a anormal quantidade de erros de conceção e execução… Mas também sou capaz de felicitar e dar os parabéns pelo bom trabalho, quando é caso disso!”
A fotografia partilhada no Facebook tem porém mais detalhes. “Também tenho o hábito de dar conta do estado do tempo que encontro ao sair de casa (antes da esmagadora maioria dos meus amigos), e uma breve referência às previsões meteorológicas para o dia”. Com sucesso: “É curioso o feedback que tenho devido a esta simples dica!”
Não é tudo, porque Alberto Marques costuma incluir na foto “uma pequena imagem do relógio” do seu carro quando sai de casa, ficando registadas a hora e data, bem como a temperatura e o que está a ouvir no rádio ou no iPod.
Para Alberto Marques, “trata-se de um simples ritual, despretensioso e bastante inócuo, que me habituei a cumprir nos dias em que estou por Águeda”. A rotina mantém-se nas viagens frequentes de negócio que faz à Madeira e aos Açores, ou quando preenche os fins-de-semana em Paranho de Arca, na subida para o Caramulo.
“Nunca imaginei que tanta gente prestasse atenção ao meu bom dia @ Águeda”, suspreende-se Alberto Marques. E há sempre alguém a perguntar se lhe aconteceu alguma coisa quando não surge…

AUGUSTO SEMEDO
Para Alberto Marques, "trata-se de um simples ritual, despretensioso e bastante inócuo"

Para Alberto Marques, “trata-se de um simples ritual, despretensioso e bastante inócuo”

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top