Bruno Almeida quer fazer “grandes mudanças” na ACOAG

Bruno Almeida e a nova equipa de dirigentes da ACOAG

Bruno Almeida é o novo presidente da direção da Associação Comercial de Águeda (ACOAG), ao conquistar 134 votos nas eleições de quinta-feira passada. A lista adversária, liderada por Óscar Cunha Velho, ficou-se pelos 81 votos

No ato eleitoral votaram 217 associados, registando-se, ainda, para a eleição da direção, um voto branco e outro nulo.
Já para a assembleia geral, que passa a ser presidida por Marlene Gaio, a Lista de Bruno Almeida (Lista A) obteve 138 votos e a lista de Óscar Cunha Velho (Lista B) 77, tendo-se registado ainda dois votos brancos.
Para o conselho fiscal, que será presidido por Paula Figueira, a Lista A obteve 136 votos e a Lista B 79, havendo um voto branco e outro nulo.

BRUNO ALMEIDA ANUNCIA “GRANDES MUDANÇAS E NOVIDADES”

Bruno Almeida, o recém eleito presidente da direção da ACOAG, em declarações ao RA, destaca o “trabalho de campo” feito pela sua equipa, de “contacto direto com os comerciantes”, acrescentando que “muitos deles se sentiam esquecidos”, mas “voltaram a acreditar na associação”. O novo presidente agradece a confiança depositada em si e na sua equipa e diz que essa confiança “aumenta” a sua responsabilidade, prometendo “muito trabalho e dedicação”, mas também “grandes mudanças e novidades para a Festa do Leitão”. “Agora temos de analisar a situação da associação e fazer um trabalho contínuo”, lembrando que a associação “não é só a Festa do Leitão”.

ÓSCAR CUNHA VELHO “REVOLTADO, TRISTE E ENVERGONHADO”

Óscar Cunha Velho, por seu lado, confessou-se “revoltado, triste e envergonhado “não por ter perdido as eleições mas pela forma como decorreu todo o processo”, acusando a Lista A de “manipulação do ato eleitoral”.
Óscar Cunha Velho elogia ainda a “postura e dignidade” da sua lista e critica o “arrebanhar de votos pela Lista A só para ganhar as eleições”, frisando que a ACOAG “perdeu porque, com cerca de 395 associados, só 217 é que votaram, dos quais 30% através de procuração”.
Sublinhando que a Lista A “tem pessoas com muita capacidade”, Óscar Cunha Velho lamenta, no entanto, a “postura de outras pessoas”, acrescentando que “a sede de ganhar era tanta que alguns comerciantes que foram abordados pela Lista A me transmitiram que só assinaram e nem a joia pagaram”.
“Contudo, desejo que cumpram e elevem ACOAG para patamares onde já esteve, mas que tenham muita consideração e respeito pelos associados que há muito anos têm contribuído para a sobrevivência da associação”, refere, prometendo dar o seu contributo e “continuar a pagar as cotas, ao contrário de Bruno Almeida que há quatro anos deixou de o fazer, quando perdeu as eleições”.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top