Câmara: Orçamento de “obras faraónicas”

Sessão da assembleia municipal que aprovou o orçamento e plano da autarquia para 2015

As grandes opções do plano e orçamento (GOP) da Câmara Municipal de Águeda para 2015 foram aprovadas por maioria, com cinco votos contra (PSD) e quatro abstenções (CDS-PP e CDU). O PS votou a favor.

Alberto Marques (PSD)

Alberto Marques (PSD)

“Orçamento de obras faraónicas, absolutamente desfasadas do que são as necessidades reais do concelho”, assim se referiu Alberto Marques (PSD) às grandes opções do plano e orçamento, documento que esteve em discussão na assembleia municipal. Já Tiago Lavoura (PSD) classificou o documento de “orçamento de betão”, criticando sobretudo o facto de dar “pouca atenção às pessoas e à área social”.
Criticas que foram rebatidas pelo socialista Paulo Seara (PS). “Há um aspeto pelo qual este plano e orçamento deveria ser enaltecido, que é a forma como olha para as pessoas e como percebe o tempo que vivemos”, argumentou. Também o socialista José Vidal defendeu o executivo de Gil Nadais, afirmando que “não há nenhum município no país que tenha baixado tanto os impostos como o de Águeda”.

Paulo Seara (PS)

Paulo Seara (PS)

“Não posso concordar quando se diz que é o orçamento do betão”, argumentou, por sua vez, o presidente da Câmara, Gil Nadais (PS), frisando ter havido um “aumento dos apoios sociais”.

(leia mais nas edições e-paper e impressa)

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top