Casa da canoagem pode virar centro interpretativo

Centro municipal de canoagem

Arrancaram em Águeda os trabalhos de reabertura da Rua Bério Marques, que dá acesso ao antigo centro municipal de canoagem, após 20 anos de processos judiciais.

O acontecimento que o presidente da câmara considerou “histórico”, surge após 20 anos de processos judiciais em tribunal e do acordo que o atual executivo alcançou com os proprietários dos terrenos, onde foi construído o equipamento, na margem esquerda do rio Águeda.
O Região de Águeda acompanhou os trabalhos iniciais de reabertura da via e a limpeza do terreno. Na ocasião, o presidente da câmara revelou ao nosso jornal que a autarquia tem algumas ideias sobre o que pode vir a fazer no edifício do antigo centro municipal de canoagem, mas só depois de verificar o estado em que se encontra, uma vez que está fechado há mais de 20 anos.
“Foi agora possível estabelecermos um acordo e resolvermos esta situação que se arrastava há alguns anos, em relação ao edifício será necessário avaliar o estado em que se encontra para que possamos avaliar o que fazer”, referiu Jorge Almeida.
“Atualmente temos o centro municipal de canoagem a funcionar junto do IVV, pelo que, naquele espaço, estamos a pensar instalar um centro interpretativo relacionado com o nosso Rio Águeda, no âmbito do programa Life Águeda, mas temos de avaliar o estado de conservação deste edifício para saber como agir”, acrescentou o edil.
Refira-se que os trabalhos de limpeza arrancaram após acordo com os proprietários do terreno onde foi construído o centro de canoagem, no ano de 2000. Recorde-se ainda que este edifício custou ao município perto de 400 mil euros, tendo sido inaugurado em 2004 e fechando portas um ano depois, por ter sido construído em terrenos cuja posse do município não estava regularizada.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top