Casa Museu do Cancioneiro atrai curiosidade

Casa Museu do Cancioneiro de Águeda

A Casa Museu do Cancioneiro de Águeda recebeu a visita de um grupo de 48 pessoas proveniente de Tomar, no domingo, dia 31 de janeiro

O grupo de Tomar foi-lhes explicado todo o enquadramento da génese desta Casa Museu, o que ele representa, qual o espólio que contém e a forma como se encontra distribuído pelas diversas salas.
Ficou evidente a riqueza patente, em termos de xailes e lenços e de outras peças de vestuário que se encontram guardadas.
“Durante a visita, ouviam-se expressões de agrado pela organização do Museu, pela assertividade na disposição das peças, pela diversidade e autenticidade dos vários materiais expostos”, referiu Rosa Noronha, presidente da direção, sublinhando que “muitos dos materiais que constam deste acervo resultaram de uma pesquisa muito séria e autêntica, de um cuidado extremo em manter as características do nosso concelho desde a zona serrana à pateira de Fermentelos, da zona da bairrada à região do Vouga”.
Fica também patente as diversas atividades económicas dos finais do séc. XIX, início do séc. XX, salienta-se o facto de o rio Águeda ser gerador de fainas diversas, como seja o caso das sardinheiras e salineiras do bairro do Barril e das lavadeiras. Estas, povoavam as margens do rio com o bater das roupas nas suas tripeças e aproveitar o areal para corar e secar as roupas que lavavam para as senhoras de Águeda.
Também as tendeiras e as filhas dos comerciantes que apresentavam algum poder económico estão em realce, nesta verdadeira viagem ao passado.
Toda esta diversidade está patente neste Museu, que pode ser visitado por quem o desejar.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top