Chuva persistente provoca cheia em Águeda (c/vídeo)

Pluviosidade elevada em Águeda fez subir o nível da água nos rios e provocou derrocadas

O Rio Águeda galgou mais uma vez as margens mas a subida do nível das águas ultrapassou as cheias verificadas desde a que se registou em janeiro de 2001.

A possibilidade de inundações rápidas em zonas historicamente vulneráveis, que a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) antecipava no aviso de ontem (quinta-feira), confirma-se em Águeda. Até às 18 horas desta sexta-feira prevê-se que a subida do nível do caudal do Rio Águeda ultrapasse os valores das cheias verificadas desde a de janeiro de 2001.

Além das estradas habitualmente cortadas ao trânsito sempre que o rio invade o leito de cheia, há outras que foram invadidas pelas águas do rio, como a de ligação a Paredes, a rua Celestino Neto (de acesso ao pavilhão do GICA) e a rua Cabedo e Lencastre (EN1, entre pontes, à entrada sul da cidade).

O trânsito na cidade de Águeda processa-se com muita dificuldade.

17h22 – informação atualizada

Os serviços de proteção civil de Águeda preveem que o caudal do Rio Águeda comece a descer junto à cidade pouco depois das 18 horas. “Vai baixar bastante”, assegurou o vice-presidente da Câmara Municipal de Águeda, Jorge Almeida.
O autarca disse ao RA que a medição do nível de quota registada no Alfusqueiro, rio que desagua do Águeda, atingiu “recorde de medição”. “De manhã registava 6 metros e 21 centímetros quando a máxima era de 6,33 mas, neste momento, ultrapassou largamente esse valor”, referiu Jorge Almeida.
No momento do contacto com o RA, o autarca assegurava que o nível das águas já tinha descido, perspetivando que esse efeito se verificasse no rio, junto à cidade, depois das 18 horas.
“Neste momento temos a EN1 fechada ao trânsito junto à Sociedade Comercial do Vouga”, anotou Jorge Almeida, situação que não se verificava desde 2001. Por isso, não se passa na ponte antiga (da EN1) na cidade. A ponte do Ribeirinho (EN 333), também na cidade, está acessível ao trânsito, o único senão é que não se acede junto ao Sardão, para quem vem do estádio municipal e da EN1 (junto ao nó).

18h

Trânsito caótico em Águeda e bastante demorado no IC2, entre os nós de Águeda Norte e Águeda Sul. Acesso a Águeda pelos dois nós muito complicado. Melhor acesso por Águeda Sul (Aguada de Cima).
Acesso à ponte do Ribeirinho, por Assequins, vedado.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top