Ciclismo: Miranda-Mortágua remodelada

Pedaleira desenvolvida pela Miranda & Irmão

Pelo segundo ano consecutivo no escalão Continental UCI, a equipa denominada Miranda-Mortágua apresenta-se remodelada para a época ciclística de 2019

A equipa que une a empresa de Águeda ao clube de Mortágua assegurou as aquisições de Hugo Sancho (ex-Vito-Feirense), de regresso a casa, Daniel Freitas (ex-W52-FCPorto), os espanhóis Sergio Veja e Cristian Mota, Ivo Pinheiro (ex-Trofa), Pedro Pinto (ex-Adrap) e Gaspar Gonçalves (ex-Liberty Seguros), que regressa também a uma equipa da qual já fez parte.
Saíram da equipa quatro jovens promissores – Francisco Campos e Jorge Magalhães (para a W52-FC Porto), Hugo Nunes (Rádio Popular-Boavista) e Gonçalo Carvalho (U.C. Mónaco) -, além de Nuno Meireles (Louletano) e António Barbio (LA Alumínios).
A Blackjack, marca da Rodi fabricante de rodas de alto desempenho, continuará como fornecedor oficial de rodas em 2019.

EDGAR PINTO

O ciclista Edgar Pinto, que correu em 2018 pela Vito-Feirense, vai representar a W52 – FC Porto na próxima época. A melhor formação nacional dos últimos anos vai competir no segundo escalão mundial (passando de Continental a Profissional) durante as próximas três épocas, tendo como objetivo a participação na Volta a Espanha. Daniel Mestre (ex-Efapel) e Joaquim Silva (ex-Caja Rural, de regresso), além dos dois ciclistas provenientes da Miranda-Mortágua, são aquisições. Com a permanência da “espinha dorsal” da última época, Edgar Pinto será mais um ciclista para lutar pelas vitórias na geral; já Daniel Mestre e Francisco Campos (aos 21 anos o mais promissor sprinter nacional) serão apostas para chegadas em grupo.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top