Ciclismo: Oscar Pelegrí vence grande prémio ABIMOTA

Oscar Pelegrí foi o vencedor do 39.º grande prémio ABIMOTA

O espanhol Oscar Pelegrí (Rádio Popular-Boavista) sagrou-se este domingo, dia 17, em Águeda, vencedor do Grande Prémio ABIMOTA / Altice 2018. Mas foi o colega de equipa, David Rodrigues, que conquistou ao sprint a última etapa da prova, ao ser o primeiro a cortar a linha da meta na Avenida 25 de Abril, destacando-se do grupo que o acompanhava na fuga que foi formada nos derradeiros quilómetros da tirada.

Líder desde a segunda etapa, Raúl Alarcón (W52-FC Porto) acabaria por ser destronado do primeiro lugar da classificação geral, perdendo a camisola amarela para o seu compatriota, que correu pela primeira vez o Grande Prémio ABIMOTA / Altice.
“No início do Prémio não pensava que pudesse ganhar, mas sabia que estava muito bem fisicamente, porque os últimos treinos também correram bem. Cheguei com o objetivo de trabalhar para a equipa, mas os resultados foram surgindo e cheguei à frente da Geral. A equipa ajudou muito, até ao fim e foi quando começamos a aspirar a vitória da prova”, adiantou Oscar Pelegrí. Já o vencedor do dia comentou ter sido “uma etapa bastante difícil, onde estive o dia todo na fuga e no final tinha o Oscar Pelegrí com possibilidade de ganhar a prova. Enquanto equipa conseguimos fazê-lo. No fim, tentei surpreender e também consegui”, rematou David Rodrigues, que apenas nos últimos metros acreditou que seria possível: “As forças estavam a terminar, mas há sempre um bocadinho mais de energia e levantar os braços sabe sempre bem”.
Mas foi em Lisboa que começou o Grande Prémio ABIMOTA / Altice, em Dia de Santo António, 13 de junho, com um Contrarrelógio por Equipas, onde o espanhol Mário Gonzalez (Sporting-Tavira) foi o primeiro camisola amarela da prova. O Sporting-Tavira conseguiu o melhor tempo, ao completar os 5,5 km do percurso entre o Campo Grande e Entrecampos em 06’29’’. No dia seguinte, 14 de junho, a competição prosseguiu com a segunda etapa, que ao longo de 157,2 km uniu Coruche a Proença-a-Nova. AcCamisola amarela passou para Raúl Alarcón (W52-FC Porto), que cortou a linha da meta isolado, em Proença-a-Nova. No pelotão que o perseguiu lideravam Vicente García de Mateos e Luís Mendonça (ambos da equipa Aviludo-Louletano-Uli), que terminaram a corrida em segundo e terceiro lugar, respetivamente.
Na sexta-feira, dia 15, surgiu a etapa mais curta do 39.º Grande Prémio ABIMOTA / Altice, com um Circuito em Belmonte de 70,85 km no total. Sérgio Paulinho (Efapel) foi o vencedor desta terceira etapa, com três segundos de vantagem sobre o segundo classificado da jornada, Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli). Raúl Alarcón (W52-FC Porto) defendeu a camisola amarela após chegar ao topo do Castelo de Belmonte na 17.ª posição, a 35 segundos do vencedor. Continuava, assim, a assumir o comando do Grande Prémio ABIMOTA / Altice 2018.
Com a quarta e penúltima etapa, no sábado, chegava a jornada mais extensa da prova. Foram 184,4 km entre Almeida e Mortágua, que sagrou vencedor, isolado, Xuban Errazkin (Vito-Feirense-Blackjack). Raúl Alarcón (W52-FC Porto) defendeu a camisola amarela e continuava a ser o líder da prova. Nesta tirada, Francisco Campos (Miranda-Mortágua) esteve às portas da vitória em casa, ao passar a linha da meta em segundo lugar, sendo o primeiro corredor do pelotão, numa tirada que ficou marcada pela vitória coletiva: a Miranda-Mortágua conquistava o primeiro lugar na geral equipas.
Feitas as contas, a composição da geral individual no final do Grande Prémio ABIMOTA / Altice ficou com Oscar Pelegrí como líder (camisola amarela), seguindo-se Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli), a cinco segundos e com Frederico Figueiredo (Sporting-Tavira) no terceiro lugar, a 14 segundos do camisola amarela.
Nas restantes classificações foi o Sporting-Tavira que venceu a geral por equipas. Luís Mendonça triunfou na classificação por pontos e o colega de equipa, David de la Fuente (Aviludo-Louletano-Uli) venceu na montanha. As metas volantes premiaram Pedro Paulinho (Efapel) e a geral da juventude permaneceu com Xuban Errazkin (Vito-Feirense-Blackjack), que tinha ganho a penúltima etapa. A geral autarquias foi para o colega de equipa João Matias, a geral bolinhas ficou com César Martingil e o melhor corredor da equipa de clube da geral foi Martin Lestido (Supermercados Froiz).
Em dia de última etapa do 39.º Grande Prémio ABIMOTA / Altice, o diretor da prova, Vital Almeida, fez um balanço da prova, começando por dizer que desportivamente “os objetivos foram conseguidos, porque tivemos luta até ao fim, como gostamos de ter. O vencedor foi encontrado na última linha da meta, o que foi ótimo para a competição. Estamos contentes e vamos começar a pensar já no próximo”. O dirigente lembra que serão 40 edições, um número que traz alguma responsabilidade, “também porque já temos alguma história no ciclismo. É uma satisfação sermos das provas por etapas mais antigas do calendário nacional e estamos contentes porque quer os corredores, como as equipas e toda a estrutura que se monta agradece-nos e gosta de vir à nossa prova. Havendo competição até ao fim, então melhor ainda”, concluiu. Durante os cincos dias, Vital Almeida destaca também que ao nível organizativo “não surgiu nenhum acidente. Sabemos que na etapa de sábado dois ciclistas não tiveram a mesma sorte, caíram e lamentamos, mas a questão da segurança todos os anos nos preocupa muito e a este nível estamos muito contentes”, rematou Vital Almeida.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top