Cruz Vermelha assina protocolo

CVP Águeda assinou protocolo com a Associação Dignitude

A delegação de Águeda celebrou um protocolo com a Associação Dignitude, para operacionalização do Programa abem: Rede Solidária do Medicamento

O objetivo do protocolo – assinado na sexta-feira – é garantir medicamentos aos cidadãos do concelho de Águeda, que se encontrem numa situação de carência económica que os impossibilitem de adquirir os medicamentos comparticipados que lhe sejam prescritos por receita médica.
Na oportunidade, o presidente da delegação de Águeda da Cruz Vermelha, Ricardo Matos, agradeceu o “reconhecimento da credibilidade” da instituição a que preside e agradeceu ainda a “confiança” da Dignitude na instituição, para gerir o projeto.
Já Augusto Menezes, presidente do conselho fiscal da Dignitude, enalteceu a “disponibilidade” da delegação de Águeda da Cruz Vermelha para ser entidade referenciadora.
O representante da Dignitude avançou ainda com alguns números sobre o projeto, dando nota que atualmente a associação conta com mais de 45 parcerias firmadas e que há mais de 350 farmácias a contribuir para o fundo dos medicamentos e mais de 3500 beneficiais do continente e ilhas abrangidos, tendo já sido entregues mais de 55 mil embalagens de medicamentos. De referir ainda que um quarto dos beneficiários são crianças.
Aquele responsável sublinhou ainda que todos os custos relacionados com a exploração da associação são “suportados integralmente pelos dois promotores do projeto”, a Associação Nacional das Farmácias (ANF) e a Apifarma – Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica e que o fundo “é auditado autonomamente”. As receitas desse fundo têm origens várias, desde as farmácias, doadores institucionais e outros, realização de eventos e entidades referenciadoras.
Refira-se que a Associação Dignitude, Instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos, é responsável pelo desenvolvimento, operacionalização e gestão do Programa abem: Rede Solidária do Medicamento, que tem por destinatários indivíduos beneficiários de prestações sociais de solidariedade, mas também todos os que se deparem com uma situação inesperada de carência económica decorrente de desemprego involuntário ou de doença incapacitante, entre outras situações de carência a serem também consideradas.
Os beneficiários, referenciados pelas instituições, recebem um cartão, com o qual se dirigem à farmácia para levantar os seus medicamentos.
Recorde-se que a delegação de Águeda da Cruz Vermelha acompanha atualmente cerca de duas centenas de pessoas, que podem ser beneficiárias deste projeto, mas qualquer cidadão que comprovadamente não tenha condições para comprar os seus medicamentos pode pedir ajuda à instituição.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top