DAR quer dar mais lazer

Atletas do DAR no Porto

Em assembleia geral, o DAR – Desportivo Atlético de Recardães – fez balanço de 2015 e projetou o futuro. O presidente reeleito para o biénio 2016/2017, Luís Santos, anunciou uma nova atitude para a coletividade, tornando-a menos competitiva e mais de lazer

Este propósito já aconteceu com a emblemática corrida de São Silvestre, no Porto, tendo levado cerca de 20 participantes, uns mais e outros menos competitivos, que teve como objetivo criar essa nova dinâmica. A ideia é “abrir a participação a todos, mesmo aqueles que não querem fazer competição mas apenas usufruir dos prazeres das modalidades individuais, como corrida, orientação, BTT ou trail”.
Victor Campos, presidente da mesa da assembleia cessante, agradeceu aos sócios e atletas presentes o seu empenho mas lamentou a ausência de muitos outros, num “sentimento de alheamento” à vida da coletividade, “deixando, assim, na mão de uns poucos” o destino de mais de 25 anos de um passado nem sempre fácil.
Referiu ainda, Victor Campos, que o saldo do ano de 2015 lhe parecia desportivamente menos conseguido que nos anos anteriores, embora a coletividade esteja de boa saúde financeira, o que permitia, eventualmente, ir mais longe desportivamente.
A direção de Luís Santos tem como secretário Arlindo Santos e tesoureiro Pedro Tavares. Depois de expor as contas, que apresentam um saldo positivo confortável para a próxima época, o presidente reconduzido referiu que o ano que agora terminou não foi desportivamente fácil de gerir, face a alguns abandonos de dirigentes e atletas. Referiu nomeadamente a secção de orientação e a menor participação dos atletas de duatlo/triatlo, ainda que “de alguma forma compensada pela captação de novos atletas para a modalidade de trail”. A ideia é “incrementar as modalidades, nomeadamente a de orientação”, emblemática para a coletividade de Recardães.

Autores
Tags ,

Notícias Relacionadas

*

Top