Derrama e IMI mantêm taxas máximas em Águeda

As taxas de derrama e IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) para 2011 foram aprovadas pelo executivo municipal, em reunião de câmara, de quinta-feira, mantendo as taxas máximas definidas na lei, ou seja, 1,5% para a derrama e 0,7% (prédios urbanos) e 0,4 (prédios urbanos avaliados nos termos do Código do Imposto Municipal Sobre Imóveis) para o IMI.

O PSD, pela voz de Manuel Marques, considerou que “atendendo ao actual período de dificuldades deveria haver um redução das taxas”, propondo a descida de um ponto percentual.

O presidente da Câmara, Gil Nadais, lembrou que as empresas que têm prejuízos não pagam derrama e que a descida de um ponto percentual não teria grande impacto para as empresas. “Não tenho um único empresário a pedir-me para descer a derrama”, sublinhou Gil Nadais, em resposta à oposição, que defendeu ainda que a autarquia se deveria mostrar mais sensível às dificuldades por que passam empresas e famílias.

(informação completa na edição impressa)

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top