Detido suspeito de incêndios em Macinhata do Vouga

Incêndios trazem dor e luto, impotência e revolta, destruição e pobreza! Penalizam fortemente o meio ambiente e a qualidade de vida das populações. Estamos de luto e não publicamos fotografias avermelhadas pelas chamas que nos indignam. Apelamos a todos para que o façam. Se repudiamos que incêndios possam começar às 4 da manhã, digamos não ao espetáculo da destruição!

A PJ de Aveiro identificou e deteve um homem, trabalhador da construção civil, presumível autor de oito crimes de incêndio florestal. Os incêndios ocorreram em diferentes locais da freguesia de Macinhata do Vouga, desde o passado dia 11 de agosto até ao dia 12 do corrente mês, tendo posto em perigo uma extensa mancha florestal, bem como, em três das situações, estruturas de apoio à agricultura, pecuária e, ainda, casas de habitação.
Apenas a pronta deteção dos fogos e o seu combate no imediato impediu que os mesmos tivessem consequências de maior.
Não foi possível determinar qualquer motivação racional ou explicação plausível para a prática dos factos em investigação, tendo o suspeito agido num quadro de alcoolismo.
O detido, com 38 anos de idade, irá ser presente às autoridades judiciárias, na comarca de Aveiro, para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.
No decurso do corrente ano a Polícia Judiciária já identificou e deteve 87 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top