Diminuição de receitas continua a preocupar a ARCOR

ARCOR, em Ois da Ribeira, festejou 41 anos

A ARCOR festejou o seu 41° aniversário no domingo, dia 2. As comemorações ficaram marcadas pela homenagem a três ex-dirigentes e pela doação de materiais. A dominuição de receitas continua a ser uma preocupação

O programa incluiu uma romagem ao cemitério em homenagem a ex-dirigentes da associação, que faleceram em 2019 e um almoço.
Na ocasião, Mário Marques, presidente da direção, deu nota da diminuição de receitas nos últimos anos, sublinhando que “têm resultado em saldos negativos consecutivos”. O dirigente justificou o saldo negativo de 2018 com a aquisição de uma viatura e o aumento das contas de EDP, gás e certificações que “tinham transitado do ano anterior” e “avarias de carros e outros que custaram cerca de 30 mil euros que não estavam previstos”. Referiu ainda que a Segurança Social comparticipava em 50% e atualmente comparticipa em 35% por utente. “Ao longo dos anos tem existido um aumento dos custos das valências e com o pessoal”, salientou o dirigente, dando conta que apesar das contas de 2019 ainda não estarem fechadas “o saldo será negativo, mas menos que no ano anterior” e que “2020 conta com um orçamento de cerca de meio milhão de euros”.
Mário Marques realçou ainda que “a forma de comparticipação da câmara foi alterada” e que “durante dois anos não recebemos nada da junta”.
O dirigente deu ainda nota que de modo a combater algumas dificuldades da instituição foi pedido o alargamento do acordo de cooperação com a Segurança Social a nível das crianças e dos idosos e que, apesar de a resposta negativa do acordo para as valências dos idosos, a entidade irá pedir novamente o alargamento do acordo.
Por sua vez, o Comendador Augusto Gonçalves reconheceu o esforço de todos os que contribuíram para a história da associação e o esforço da direção para ultrapassar as dificuldades com que se tem defrontado. Deixou ainda uma palavra de agradecimento às colaboradoras e à diretora técnica, Sandra Santos pelo trabalho desenvolvido.
Também Brito Salvador, presidente da Assembleia Municipal, felicitou a instituição pelo trabalho desenvolvido a nível social e desportivo e reconheceu o trabalho das colaboradoras por “darem aos utentes o que eles mais precisam, que por vezes é só um afeto ou um sorriso”.

200 MIL EUROS PARA A CANOAGEM

Edson Santos, vice-presidente da Câmara de Águeda, considerou que o impasse que conduziu às eleições intercalares “fez Óis da Ribeira retroceder muitos anos” e que a ARCOR “sentiu as consequências disso mesmo”. Edson Santos lembrou ainda que, no início do mandato, informou a instituição de que a autarquia tem 200 mil euros para fazer um novo hangar ou reconstruir o existente e que “estamos todos a trabalhar para que aconteça o mais rápido possível”.
Já Sérgio Neves, presidente da União de Freguesias de Travassô e Óis da Ribeira, felicitou todos quantos fazem parte da história da ARCOR e falou dos esforços desenvolvidos no sentido de retomar o protocolo com a segurança social e a Santa Casa da Misericórdia de Águeda com vista ao acompanhamento gratuito na junta de freguesia de casos sociais, que contava também com a colaboração da ARCOR, Jardim Social e Patronato.
O autarca anunciou ainda que a escola primária de Óis da Ribeira se encontra na posse da junta e que será para a criação de espaços de convívio, nomeadamente para “relançar o teatro que o povo de Óis tanto acarinha” e para a criação de um espaço para as marchas populares “terem o seu espaço”.
Por fim, José Bernardino, natural de Óis da Ribeira falou na importância de encontrar soluções e novos eventos para combater as dificuldades que a instituição atravessa, demonstrando a sua preocupação com o futuro de Óis da Ribeira. Defendeu a valorização da Pateira, a requalificação de Óis da Ribeira e a aposta no turismo.
O almoço contou com a animação musical dos “Ed’Graça” e atuação do grupo das Velhas Guardas do Cancioneiro de Águeda.

Gabriela Reis

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top