Empresários contestam comunicação de inventários a AT

A comunicação de inventários à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) levou a Associação Empresarial de Águeda (AEA) a solicitar à ministra das Finanças, Maria Luis Albuquerque, a prorrogação do prazo de cumprimento para 15 de março do corrente ano. “Qualquer dia não há privado que queira investir”, contesta a AEA, acusando as autoridades portuguesas de “pequenez da mentalidade”.

A associação aguedense invoca seis razões para a prorrogação do prazo, desde logo pelo facto de ser “a primeira vez que a obrigatoriedade de comunicação de inventários à AT é imposta às empresas”.
Para a AEA, “esta obrigatoriedade afeta milhares de PME’s que não possuem softwares adequados” para poderem cumprir, acrescido de que “apenas no passado dia 6 do corrente mês de janeiro” foi publicada a portaria que define “as características e estrutura do ficheiro” através do qual deve ser efetuada essa comunicação à AT. “É manifestamente reduzido o período para a preparação desses ficheiros de acordo com o exigido”, refere a AEA, na carta dirigida à ministra.
Segundo a AEA, “esta obrigatoriedade só aumenta a complexidade, a burocracia e as tarefas administrativas das empresas pelo que, mais uma vez, as PME’s portuguesas se vêm prejudicadas na sua competitividade pelo aumento de custos improdutivos”.

(leia mais nas edições e-paper e impressa)

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top