Empresários de Águeda querem QREN reformulado e consideram que apoios perdem-se na burocracia

“O actual Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) não estimula nem fomenta o investimento privado”, considera a Associação Empresarial de Águeda (AEA) na carta que enviou ao Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento.

Na missiva, os representantes dos empresários de Águeda procuram “sensibilizar” o Governo “para uma verdade que nem todos querem admitir: o actual Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) não estimula nem fomenta o investimento privado”.

Nesse sentido, a AEA apresentou “um conjunto de observações e ideias para agilizar e melhorar as várias medidas de apoio ao investimento no âmbito do QREN” (ler na edição impressa).

 

APOIOS QUE SE PERDEM COM BUROCRACIA

 

Na carta assinada pelo presidente Ricardo Abrantes, a AEA considera que “o país precisa de aproveitar todas as iniciativas empresariais capazes de criar emprego e riqueza, não se podendo dar ao luxo de excluir projectos por meras questões triviais, burocráticas, dificuldades na interpretação e compreensão das medidas de apoio”.

Nesse sentido, “é triste não se poder aproveitar os fundos comunitários atribuídos a Portugal porque há portugueses que restringem e complicam o acesso aos mesmos, em lugar de criarem as melhores condições ao crescimento e desenvolvimento económico do país”, como seria sua “obrigação”.

(observações e ideias apresentadas pela AEA ao Governo na edição impressa)

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top