Estudo de viabilidade da Linha do Vouga ignora comboio em Águeda

O estudo encomendado pela Área Metropolitana do Porto sobre o custo-benefício da linha ferroviária do Vouga deixou de fora todo o eixo Aveiro – Águeda- Sernada – Oliveira de Azeméis.

Tendo como objectivo “reflectir sobre a viabilidade do troço Oliveira de Azeméis–Espinho-Vouga da linha ferroviária do Vouga”, em especial a sua ligação e compatibilização com a linha do Norte e consequente ligação ao Porto, o estudo conclui que “existe um potencial forte de procura captada” caso esta ligação seja integrada na operação dos comboios Urbanos do Porto. Por via larga, electrificada e com sinalização electrónica.

O PCP já veio afirmar que o estudo “demonstra não só a importância deste serviço para as populações de um largo conjunto de concelhos do distrito, como a sua plena viabilidade e urgente requalificação”. Todavia, os comunistas consideram “uma grave lacuna” o referido estudo “ignorar o importante troço Aveiro – Águeda, bem como o troço Águeda – Oliveira de Azeméis”, baseando-se “unicamente numa lógica de privatização”.

(MAIS INFORMAÇÃO NAS EDIÇÕES E-PAPER E IMPRESSA)

Autores

Notícias Relacionadas

1 comentário;

  1. Simon said:

    A Questão é que a viabilidade da linha foi vista na perspectiva da Área Metropolitana do Porto que, como é sabido, entre todos os concelhos servidos pela linha do Vouga, compreende apenas os concelhos de Oliveira de Azeméis, São João da Madeira, Santa Maria da Feira e Espinho.

*

Top