Futebol: Recreio fez a festa da Taça

Niang no momento do remate que decidiu o jogo (foto: Maria João Pereira)

Um golo do senegalês Niang, aos 35 minutos, bastou para que um sólido Recreio de Águeda eliminasse um inconsequente Famalicão na Taça de Portugal. A formação aguedense foi, com justiça, uma das sensações da segunda eliminatória

O Famalicão surgiu em Águeda com o estatuto de segundo classificado da 2ª Liga e com ambições de subida, mas com algumas alterações no seu ‘onze’. O Recreio manteve-se fiel ao seu esquema e ao seu último ‘onze’, à exceção da troca de guarda-redes e de Ataíde no lugar de Jullyan.
O jogo abriu com uma jogada perigosa do Famalicão na esquerda do seu ataque, com Mário Évora a opor-se bem, e com um forte remate de Niang, ainda fora da área, com a bola a passar perto da barra. O senegalês do Recreio rematou pouco depois rente ao poste, após arrancada de Mica pela direita.

Niang no momento do remate que decidiu o jogo  (foto: Maria João Pereira)

Niang no momento do remate que decidiu o jogo (foto: Maria João Pereira)

O Famalicão teve mais posse de bola e o Recreio aceitou naquele seu jeito, que já vem do campeonato, de defender com os seus jogadores muito próximos, reduzindo os espaços por onde os adversários possam entrar. Às vezes, o recuo era evidente mas com resultados práticos: o Famalicão nunca conseguiu chegar com perigo à baliza de Mário Évora.
O golo surgiu numa das vezes que o Recreio conseguiu chegar à área: Niang, desmarcado, não perdoou diante de Ricardo, guarda-redes que fez formação no Oliveira do Bairro antes de se transferir para os juniores do Belenenses.

RECREIO PRÓXIMO DO SEGUNDO GOLO

O jogo manteve-se a seguir ao golo como estava antes: o Famalicão com a ilusão da superioridade territorial mas sem soluções e o Recreio com linhas próximas, sempre seguro e autoritário na sua zona defensiva.
Os aguedenses mantiveram a concentração durante o segundo tempo e até podiam ter sido mais precisos em dois contra-ataques que apanharam o Famalicão adiantado e desequilibrado, desperdiçando excelentes ocasiões para arrumarem com o jogo. Além destas, David, aos 75m, rematou em boa posição mas o remate cruzado saiu perto do poste.
O Famalicão apenas criou perigo em período de descontos, com Mário Évora a mostrar que o Recreio tem dois bons guarda-redes: o experiente Ricardo e este jovem vindo da formação do FC Porto.
O “internacional” Rui Costa geriu o jogo com a sua experiência mas evidenciando critérios desiguais na amostragem de amarelos.

ESTREIAS

Nota ainda para as estreias de dois jogadores no Recreio. O avançado nigeriano David, mais recente aquisição do clube aguedense, entrou aos 58 minutos. Mostrou-se ainda pouco entrosado e esteve, porque o jogo assim pedia, em zonas muito recuadas do campo. Teve uma boa oportunidade de golo.
Já o defesa central Quichini regressou de uma lesão. O brasileiro começou esta época no Recreio mas só agora fez a sua estreia oficial – com a curiosidade de ter sido contra a sua equipa há duas épocas.

(informação completa na edição da semana – versões e-paper e impressa)
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top