Gala de natal da Banda Nova

Concerto de natal da Banda Nova de Fermentelos

Foi um sucesso a gala de natal que a Banda Nova de Fermentelos promoveu no Centro de Artes de Águeda, que praticamente encheu. O público, no final, fez questão de retribuir com uma prolongada salva de palmas, acompanhando ainda a letra da última interpretação dos músicos

Mais de 200 músicos partilharam o palco do Centro de Artes de Águeda. À Banda Nova de Fermentelos, que conta com cerca de 80 membros, juntaram-se o belga Ludwing Albert (solista em marimba) e Rodrigo Marques, aluno do primeiro e ex-músico da banda fermentelense. Seguiu-se a soprano Sandra Morais, e depois os coros: Grupo Coral Ré-Canto (Fermentelos) e Grupo Coral da Casa do Povo do Troviscal com a maestrina Sandra Morais; Orfeão Portuscale do Grupo Desportivo e Cultural do BPI (Porto) e Orfeão de Rio Tinto (Gondomar) com o maestro Helder Magalhães; e o Coral Juvenil do Orfeão de Rio Tinto com a maestrina Andreia Lopes.
Presente pela primeira vez no grande auditório da sala aguedense, a Banda Nova procurou “fazer algo diferente”, numa quadra de celebração natalícia, apresentando neste concerto sinfónico-coral “grandiosos temas do panorama musical”.

DIREÇÃO VIGOROSA DO MAESTRO

Sob a direção vigorosa do maestro Orlando Rocha, a quem se deve a maioria dos arranjos dos temas escolhidos – mas também, como foi sublinhado, “a organização e a coordenação” do evento -, o concerto teve momentos de grande brilhantismo e merecia não se ficar por uma única sessão.
O maestro puxou por músicos jovens e de grande potencial, que integram a sua orquestra em Fermentelos, e até no reconhecimento de um momento menos feliz de uma pequena cantora do coro juvenil fez com que o público devolvesse coragem à interprete, que recebeu uma calorosa salva de palmas. Pelo escasso tempo de preparação, foi incrível a forma como os dois músicos de marimba e a Banda Nova de Fermentelos revelaram uma enorme sintonia na interpretação dos vários temas de interpretação conjunta.
Na parte final do concerto, que durou mais de duas horas sem se notar, o Comendador Augusto Gonçalves, presidente da assembleia geral da Associação Cultural e Recreativa Banda Nova, entregou uma lembrança à vereadora municipal da cultura, Elsa Corga. Agradeceu a comparência do numeroso público, à Câmara pela cedência do espaço e a maestros, músicos e coralistas pela performance atingida na noite de sábado.

FERMENTELOS, VILA DA MÚSICA

Augusto Gonçalves dirigiu-se depois à “competente, bonita e simpática” vereadora Elsa Corga, considerando que “será bom não haver derrapagem nas contas da autarquia mas, se houver, que não seja em desfavor da cultura, designadamente da cultura musical”.
A autarca, classificando o espetáculo como “grande noite” e “noite maravilhosa”, referiu que a Banda Nova “não tem que agradecer” a cedência da sala, “nós câmara é que temos que agradecer o fato de terem trazido esta qualidade” ao Centro de Artes. “É por exemplos como este que devemos apostar na área cultural”, disse, para deixar a certeza de que “não deixaremos cair estes apoios”.
Sublinhou o facto de que o espetáculo deu razão às pessoas que viram conferida, nos dias anteriores, a atribuição de Fermentelos como Vila da Música. Um processo que, como fez notar, foi desencadeado por iniciativa da Junta de Freguesia de Fermentelos. “Dezenas de jovens fizeram este trabalho de qualidade, hoje, aqui, em palco, mostrando a justiça” da designação.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top