Gesto Orelhudo começou com qualidade e casa cheia

Dois espetáculos de qualidade, casa cheia no Espaço d’Orfeu. Foi assim que começou a 12ª edição do festival O Gesto Orelhudo, em Águeda, que celebra música, teatro e humor. Este ano, a programação é exclusivamente ibérica.

Na quarta-feira, primeiro dia do festival que vai até sábado, estiveram em palco Carlos Santiago (Galiza-Espanha) com o espetáculo “Ibéria, a hanomia impossível”, e Rodrigo Leão e Gabriel Gomes, com “Os Poetas”. Altíssimo nível. Público satisfeitíssimo.

Esta quinta-feira chegam mais duas propostas, a partir das 21h30: “MacBeth” da Companhia do Chapitô, com os atores Jorge Cruz, Ricardo Peres e Tiago Viegas; e “Reportório Osório”, uma nova criação da d’Orfeu que reúne música de Luís Cardoso, texto de Luís Fernandes que retratam com ironia o quotidiano das relações afetivas e o acórdeão de Sónia Sobral.

Na sexta e no sábado, os espetáculos começam às 21h45. Dois por dia. Na sexta, “Tubos do Mundo” vem da Catalunha (Espanha) e JP Simões e Manuel João Vieira, dois nomes conhecidos do grande público, apresentam “Música maravilhosa para gente maravilhosa”. No sábado, “A Viagem do Elefante – o concerto teatral”, que a ACERT concebeu a partir da obra de José Saramago, com música do espanhol Luís Pastor, e “A Charanga”, projeto de música eletrónica ligada às raízes da cultura tradicional portuguesa, são as propostas que encerram o festival.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top