Gesto Orelhudo nos 20 anos da d’Orfeu

Les Plummes Dans l'Oreille é uma fábula visual musical em destaque no Gesto Orelhudo

O festival O Gesto Orelhudo é um dos mais reconhecidos eventos d’Orfeu, com uma programação insólita de fusão entre música, teatro e humor, constituindo-se como uma marca singular na agenda cultural do país. Este ano, decorre de 2 a 5 de dezembro, no âmbito das comemorações dos 20 anos da d’Orfeu, precisamente em cima da data oficial do aniversário associativo (4 de dezembro)

Les Plummes Dans l'Oreille é uma fábula visual musical em destaque no Gesto Orelhudo

Les Plummes Dans l’Oreille é uma fábula visual musical em destaque no Gesto Orelhudo

Nesta 14ª edição, O Gesto Orelhudo instala-se na alta da cidade, entre a Fundação Dionísio Pinheiro (fins de tarde) e o Cine-Teatro São Pedro (espetáculos da noite). Como grande inovação, o Cine-Teatro será dividido em duas salas distintas: a noite começa sempre na plateia e termina depois no anfiteatro do balcão, onde surge um novo palco. Com as adaptações previstas, a lotação diária do festival é limitada a 330 lugares.
Este ano, são destaques a fábula visual musical “Les Plummes Dans l’Oreille”, sugestiva abertura da companhia francesa Brouniak em estreia absoluta em Portugal (quarta, 2 dezembro), o formato especial dos icónicos Dead Combo acompanhados pelas Cordas da Má Fama (quinta, 3 dezembro), a poesia visual com bolas de sabão “La Piel del Agua” do espanhol Pep Bou (sexta, 4 dezembro) e o descontrolo requintado de “Marabunta” dos catalães Guillem Albà & The All in Orchestra (sábado, 5 dezembro).
Haverá também, no encerramento de cada noite de O Gesto Orelhudo, “Mensagens da Nave-Mãe” do desconcertante PZ (quarta), a poesia erótica e a mordaz ironia dos Penicos de Prata (quinta), a revelação no universo clown em Portugal, Cão à Chuva, com o seu “Lullaby” (sexta) e TochaPestana, os reis do “turbo-baile” e do “tecno-punk” (sábado).

MANIFESTO ANTI-D’ORFEU

Ao final de cada tarde, o festival O Gesto Orelhudo arranca com sessões abertas na Fundação Dionísio Pinheiro, onde o duo Estupendo Inuendo apresenta “Ele Tem Uma Guitarra e Eu Não Tenho Nada” (2 dezembro, 19h) e o brasileiro Alex Duarte abre o seu “Coração Analógico” (3 dezembro, 19h). Na sexta-feira, pelas 18h, terá lugar a cerimónia especial do 20º aniversário da d’Orfeu, num convite a toda a comunidade. No sábado, também pelas 18h, acontecerá o momento criativo dedicado aos 20 anos, com o Manifesto Anti-d’Orfeu, pela pena de Odete Ferreira e Luís Miguel Fernandes.
Os bilhetes para o festival O Gesto Orelhudo estão à venda a partir de 2 de Novembro, presencialmente no Espaço d’Orfeu ou à distância, prestando-se todas as informações pelo e-mail dorfeu@dorfeu.pt ou pelo telefone 234 604 842.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top