ICNF explicou como vai crescer a “capital das magnólias”

vale domingos 2

Henrique Machado, diretor do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), esteve na antiga escola primária de Vale Domingos para explicar à população o projeto “capital das magnólias” de intervenção no parque botânico, a executar a partir desta semana no âmbito do primeiro orçamento participativo nacional

Aquele responsável, que se fez acompanhar da arquiteta paisagista Maria da Paz, autora do projeto e elemento do ICNF em Seia, assinou o protocolo com a Associação Cultural e Recreativa de Vale Domingos, representada pelo presidente da direção, Ricardo Pereira, que permite a execução dos trabalhados, avaliados em 200 mil euros.
Na ocasião, Ricardo Pereira fez questão que todos os presentes assinassem o documento no verso, justificando que a obra será de todos. Entre os presentes, o vice-presidente da Câmara Municipal, Edson Santos, e o presidente da União de Freguesias de Águeda e Borralha, Jorge Castanheira, assumiram o apoio das suas autarquias ao parque botânico e investimentos associados, sublinhando o “exemplo” de mobilização de Vale Domingos e a influência dos projetos previstos para mudarem o paradigma e a imagem do lugar.
Igualmente presentes estiveram Luís Fardilha, do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) de Aveiro, e André Fernandes, em representação da Quercus, que terá a tarefa de acompanhar o investimento e de fazer a gestão de dois outros projetos vencedores do OP Jovem de 2017: “arribeirar” e “grande livro do parque”. O primeiro refere-se à valorização de um trilho de natureza, que facilitará a ligação pedestre de Águeda a Vale Domingos através de uma área florestal com moinhos; e o segundo à criação de uma atividade pedagógica para famílias e escolas, educando para as ciências e atraindo população ao parque. As verbas para estes dois projetos foram já transferidas do IPDJ para a Quercus.

VALE DOMINGOS ASSOCIADO AO BUÇACO E A COIMBRA

A grande novidade trazida por Henrique Machado foi a certeza de que o parque botânico de Vale Domingos ficará associado a duas áreas de referência próximas: a mata do Bussaco, candidata a Património Mundial da UNESCO, e ao parque botânico de Coimbra, ligado à Universidade de Coimbra. Permitirá criar sinergias e roteiros conjuntos.
Para já, desta esta segunda-feira, uma equipa da Universidade de Coimbra está no terreno a proceder à identificação das árvores do parque botânico de Vale Domingos.
Este projeto, designado “capital das magnólias”, de 200 mil euros, pretende concluir o parque botânico de Vale Domingos e criar parceiras com entidades, tornando o lugar numa aldeia turística. Será executado até novembro deste ano.
O ICNF e a Universidade de Coimbra serão, com a associação de Vale Domingos, responsáveis pelo investimento. Contempla aquisição de mobiliário de jardim; de equipamentos de jardinagem e equipamento de segurança, plantação de vegetação; implementação do parque infantil; construção e implementação do centro interpretativo; equipamentos de informação, divulgação e identificação; pavimentação da praça; aquisição de material de escritório; aquisição de equipamento informático e audiovisual; e formação, produção de conteúdos e design de material.

(leia mais na edição da semana – versões e-paper e impressa)
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top