Luciano Gomes abre Orelhudo

Centro De Artes De Águeda

De 10 a 13 de outubro, a 17ª edição do Festival O Gesto Orelhudo instala-se no Centro de Artes de Águeda (CAA) com 12 espetáculos protagonizados por companhias e artistas de Portugal, Espanha, França, Itália, Reino Unido e Quirguistão. Os bilhetes, com desconto pré-venda, estão já disponíveis para o público

O Gesto Orelhudo pretende “surpreender o público com propostas transdisciplinares, burlescas e extravagantes”, de acordo com a d’Orfeu, promotora do festival. Entre as propostas há estreias e velhos conhecidos, que atuarão no auditório ou no café concerto do CAA.
A noite de abertura arranca (21h) com um nome conhecido no burgo: Luciano Gomes atua em casa, no papel mais ingrato da sua vida, com “Musicomédia ou a Vã Piada de a Explicar”, uma encomenda do festival. Logo depois, os espanhóis Yllana e Primital Bros tomam o palco de assalto, numa surrealista comédia musical: “The Primitals”. Ao final da noite, o café-concerto do CAA recebe a mítica dupla Gimba e Jorge Galvão, com “Tiroliro & Vladimir”.
Em cada uma das noites seguintes, o horário nobre vai também estar bem preenchido, com Banda Osiris (Itália), Bowjangles (Reino Unido) e Cie Poc (França), respetivamente na quinta, sexta e sábado. Antes deles, no mesmo palco, o festival recebe outras propostas bem risonhas: “Fogo!” do Trigo Limpo teatro ACERT, “Circus Time” dos Mimo’s Dixie Band e “Acrolele” dos Barada Street (Inglaterra / Quirguistão).
Para que todas as noites terminem em grande, o café-concerto do CAA acolherá como propostas, depois de Gimba e Jorge Galvão na noite de abertura, Paulo Meirinhos com o seu “GiraDiscos” (quinta 11), as galegas De Vacas em estreiam em Portugal num concerto que promete ser hilariante (sexta 12) e, no final da noite de encerramento, o Trio Alcatifa vai fazer um autêntico “Bailarico dos Orientes” para a despedida da 17ª edição (sábado 13 de outubro).

Autores

*

Top