Macinhata do Vouga e São Mateus (Açores) reforçam geminação

Grupo de São Mateus em Macinhata do Vouga

O Grupo Folclórico e Etnográfico de Macinhata do Vouga (GFEMV) recebeu, na semana passada, o Grupo Folclórico e Etnográfico Ilha Morena, vindos da freguesia de São Mateus – Ilha do Pico, que, recorde-se, são freguesias geminadas.

Depois de, no passado mês de julho, o GFEMV se ter deslocado à Ilha do Pico, foi agora a vez dos cerca de quatro dezenas de elementos vindos de São Mateus conhecerem melhor a freguesia de Macinhata do Vouga e locais envolventes. Com um programa repleto de atividades, os elementos do grupo de Ilha Morena ficaram instalados no pólo educativo de Macinhata, local onde também eram servidas as refeições, confecionadas pelos membros da direção do GFEMV.

PROTOCOLO DE GEMINAÇÃO

A chegada do grupo açoriano ocorreu no sábado à tarde, dia 19, e nessa noite foram convidados para os festejos em honra de Sta. Apolónia, no lugar da Moita. No domingo, dia 20, os dois grupos participaram no “Festival do Milagre da Urgueira”, em Macieira de Alcôba.
Já na segunda-feira, dia 21, o Grupo Folclórico Etnográfico Ilha Morena foi recebido no salão nobre da Câmara Municipal de Águeda, com a presença do vice-presidente, Jorge Almeida, e presidente da Junta de Freguesia de Macinhata do Vouga, Pedro Marques, onde decorreu o protocolo de geminação entre as duas freguesias, sublinhando-se o facto do presidente da direção do grupo açoriano, Mário Silva, ser também presidente da Junta de Freguesia de São Mateus. Seguiu-se passeio pelas ruas da baixa de Águeda e almoço junto à Pateira. À tarde visitaram as instalações das Caves Primavera e a Serra do Buçaco. Na terça-feira, foi a vez do salão nobre da Junta de Freguesia de Macinhata do Vouga abrir as suas portas, tendo a comitiva sido recebida pelo presidente do executivo, Pedro Marques e seu secretário, Armando Galhano. Na oportunidade, ambos os presidentes de Junta de Freguesia voltaram a juntar as duas metades do prato, com o brasão de cada uma, que tinha sido “partido” propositadamente no dia 20 de julho, em solo de São Mateus. Seguiu-se visita ao Museu Ferroviário, tendo a tarde sido destinada a visitar as praias da Costa Nova e da Barra.

VISITA AO MUSEU

Na quarta-feira, dia 23, a manhã começou com visita ao Museu Etnográfico da Região do Vouga, na Mourisca, seguindo-se viagem de comboio até Aveiro, onde os elementos do Grupo de Ilha Morena, tiveram o dia livre. Nessa noite, teve lugar atuação do referido grupo, no largo da estação de Macinhata do Vouga, tendo sido este o primeiro contato direto com os macinhatenses. E foi com bastante público presente que as danças, usos e costumes explicados de modo tão perfeito a quem assistia, pelo Comendador Manuel Serpa, elemento há 40 anos do grupo açoriano. Na quinta-feira, dia 24, a manhã foi passada a fazer a Ecopista, da Foz até Paradela – Sever do Vouga, seguindo-se visita à cascata da Cabreia e piquenique no local. A última tarde foi passada nas piscinas de Macinhata e, à noite, houve jantar de confraternização em jeito de despedida, entre os dois grupos, órgãos sociais, e elementos da Junta de Freguesia.

DISCURSO EMOTIVO

Na ocasião, todos os intervenientes fizeram um discurso bastante emotivo, embora se soubesse que aquela noite não seria de despedida mas apenas um “até já”, conforme frisou Pedro Marques, que garantiu que a geminação entre as freguesias não se irá ficar só pelos grupos folclóricos, mas terá que passar pelas outras instituições. O autarca entregou depois a metade do prato com o brasão de Macinhata ao presidente da Junta de Freguesia de São Mateus, Mário Silva. Já Ângela Machado, vice-presidente do GFEMV, sublinhou, em nome da direção, o “enorme trabalho dos componentes na preparação e realização desta semana, que terá superado as melhores expectativas”, não esquecendo os apoios da Câmara Municipal e Junta de Freguesia, bem como dos muitos amigos do GFEMV, Associação Atlética Macinhatense e Piscinas de Macinhata.

DIAS INESQUECÍVEIS

Foi sempre com a metade do prato junto ao coração que Mário Silva salientou a hospitalidade com que o GFEMV os recebeu ao longo dessa semana, “dias que ficarão marcados para sempre na memória de cada um, nesta que já é uma terra irmã de São Mateus”, frisando que cada evento importante que a freguesia açoriana terá, haverá certamente presente alguém de Macinhata do Vouga, e vice-versa. Refira-se que as metades dos pratos voltarão a unir-se de cada vez que as “freguesias irmãs estiverem juntas”, seja lá ou cá. O Comendador Manuel Serpa realçou que em muitos intercâmbios que o grupo já fez nenhum deles deixou marcas tão boas e positivas como esta semana. A despedida foi feita ao som do cântico “Saudade”, que fez cair as lágrimas em diversos elementos de ambos os grupos. A noite terminou com uma festa no exterior das piscinas de Macinhata, ao som do DJ MP, também ele amigo do grupo visitante. A comitiva partiu de Macinhata, na manhã de sexta-feira, dia 25, rumo ao Algarve, onde ficaria por três dias, seguindo depois para a Ilha do Pico.

Filipe Correia
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top