Maria Júlio Roque apresentou livro

Maria Júlio Roque

Maria Júlio Roque, colaboradora do Região de Águeda na área da saúde, apresentou o seu livro «Coisas de nada, grandes coisas» na sexta-feira, no Congresso Nacional das Farmácias que decorreu no Centro de Congressos de Lisboa com a presença de mais de três mil farmacêuticos.


O livro, editado pela Associação Nacional das Farmácias (ANF), compagina grande parte dos textos de Maria Júlio Roque publicados nas edições do Região de Águeda, ao longo dos 17 anos que a farmacêutica leva de colaboração com o jornal.
A receita obtida com a venda dos livros reverte para o programa Abem, da associação de solidariedade social Dignitude. Trata-se do primeiro programa dinamizado pela Dignitude e “pretende dar resposta aos problemas de acesso ao medicamento motivados pelo atual contexto socioeconómico”. Visa “garantir que todos os portugueses têm acesso, nas farmácias, aos medicamentos comparticipados que lhes são prescritos”, a partir de um fundo solidário. “Esse fundo vai permitir aos cidadãos carenciados, referenciados pelas entidades locais, o acesso a toda a terapêutica comparticipada que lhes foi prescrita”. Para tal, basta apresentar na farmácia o cartão abem. “Sem mais burocracias, com total dignidade”.

IGUALDADE E COESÃO SOCIAL

Durante a apresentação do livro, foi sublinhada a preocupação pela “igualdade e coesão social” de Maria Júlio Roque. Abel Mesquita, coordenador geral da ANF, considerou que “o livro aparece numa altura em que as farmácias estão numa fase de transição”. Para este responsável, “cada vez mais se devem afirmar como espaços de saúde, com obrigações de aconselhamento e não de despachar medicamentos”.
Este conceito justifica que as farmácias passem para uma “fase com um papel mais largo junto dos cidadãos e da comunidade”, valorizando a solidariedade e o “relacionamento próximo” com os cidadãos. Para Abel Mesquita, “Maria Júlio Roque é a percursora dessa proximidade”. O livro “revela grande proximidade com os doentes, pelos seus problemas, e uma grande paixão pelas farmácias”. No fundo, “simboliza o que o farmacêutico vale no trabalho com a sua comunidade”.
Paulo Duarte, presidente da ANF, sublinhou a “ousadia” de Maria Júlio Roque na elaboração deste livro e o seu “trabalho discreto para resolver problemas concretos, todos os dias”. Vincou a “questão solidária” deste projeto, pela escolha em reverter as receitas do livro para um programa que “consideramos dos mais relevantes, porque “junta pela primeira vez saúde e solidariedade”.
Maria Júlio Roque agradeceu as presenças, que incluíram familiares e colaboradoras, e relevou a colaboração de mais de 17 anos com o Região de Águeda.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top