Motocross: Rui Gonçalves quer brilhar perante o seu público em Águeda

Num campeonato com 17 provas é normal que Rui Gonçalves se sinta em “casa” na pista do Casarão, circuito onde o piloto luso deu os seus primeiros passos como piloto de motocross e onde se tornou no primeiro atleta  a vencer uma prova do campeonato do mundo de motocross em solo nacional.

Águeda representa isto tudo e muito mais para Gonçalves. É também uma oportunidade para rever a família, amigos e os muitos fãs que habitualmente seguem com a sua carreira no Mundial da modalidade.

O circuito do Casarão tem um traçado único que habitualmente favorece os pilotos técnicos e que exige forte condição física para ser enfrentado com determinação. Rui Gonçalves já referiu, por diversas vezes, que este é um traçado a seu gosto e que permite aproveitar toda a potência da sua KTM 450.

 

SURPRESA E AZARES

 

Em termos de campeonato, o piloto de Vidago surpreendeu tudo e todos nas primeiras provas do campeonato no Qatar e na Tailândia quando andou de forma consistente no “Top Ten” apesar de competir com uma mão lesionada.

No regresso à Europa alguns azares limitaram as performances de Gonçalves nas provas disputadas na Holanda, Itália e Bulgária, azares esses que estão esquecidos numa altura em que o objetivo é atacar forte e subir posições em termos do campeonato do mundo na classe MX1.

 

“GRANDE MOTIVO DE ORGULHO”

 

Os próximos dias serão intensos em todos os sentidos. Para além do forte empenho na competição, Rui Gonçalves irá partilhar o seu natural entusiasmo por correr em casa com os muitos milhares de apoiantes que irão estar presentes em Águeda nos próximos dias 4 e 5 de Maio.

“Como é habitual, correr em Águeda é, para mim, um motivo de grande orgulho. Sinto-me, naturalmente, em casa, rodeado por muita gente que me apoia e o facto de rever família e amigos serve de incentivo para me aplicar ainda mais nos meus resultados”, referiu Rui Gonçalves.

“Ao longo dos anos o Ginásio Clube de Águeda tem vindo a fazer um trabalho fantástico em termos de preparação da pista e também na promoção do evento”, reconheceu o piloto português, vice-campeão do mundo em MX2 em 2009. “Neste momento, Águeda é um dos circuitos de topo do campeonato do mundo e espero que se mantenha assim durantes muitos anos”, disse.

 

“CIRCUITO AINDA MAIS TÉCNICO”

 

“Em termos competitivos será um fim de semana interessante: com a presença das duas classes do europeu prevê-se que o circuito fique ainda mais técnico, pelo que as corridas de domingo deverão ser animadas”, perspetivou Rui Gonçalves, desejando que “o público português se desloque em massa até Águeda para assistir ao melhor espetáculo do Mundo”.

Em MX1, a classificação do mundial está assim ordenada: 1º Antonio Cairoli 235 pts, 2º Gautier Paulin 195 pts, 3º Clement Desalle 189 pts, 4º Ken de Dycker 183 pts, 5º Kevin Stribjos 160 pts, 6º Tommy Searle 147 pts, 7º Rui Gonçalves 109 pts, 8º Max Nagl  100 pts, 9º Xavier Boog 90 pts.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top