Motocross: Uma centena de pilotos no “mundial” em Águeda

p Albano Melo, Manuel Marinheiro e Rui Gonçalves apresentaram o GP de Portugal

Cerca de uma centena de pilotos são esperados no crossódromo do Casarão nos dias 18 e 19 de maio, para a sexta prova de 19 do calendário do campeonato do mundo

A apresentação do evento, que traz a Águeda a nata do motocross mundial, decorreu na segunda-feira à tarde, na sede da Federação de Motociclismo de Portugal, contando com a presença dos presidentes do ACTIB e da federação, Albano Melo e Manuel Marinheiro, respetivamente, além do ex-piloto e embaixador do MXGP Portugal, Rui Gonçalves.
Aliás, o presidente do ACTIB desdobrou-se em ações de promoção do Grande Prémio de Portugal, que incluíram uma entrevista no programa da manhã da CMTV.
Entre a centena de pilotos esperados para as diversas classes – três do mundial (MXGP, MX2 e MXWoman) e uma do europeu de 250cc -, figuram pilotos portugueses, como Sandro Peixe, Luís Outeiro, Diogo Graça e Joana Gonçalves.
Os bilhetes para os dois dias variam entre os 30 e os 40 euros, neste caso com acesso à bancada que foi estreada em 2018 com evidente sucesso.
Albano Melo espera superar os 20 mil espetadores que presenciaram a prova do ano passado. “A corrida merecia ter 50 mil pessoas mas já seria muito bom chegarmos aos 30 ou 40 mil nos dois dias”. A presença de muitos estrangeiros, a exemplo do que sucedeu nos dois últimos anos, bem como de portugueses aficionados, é uma certeza, dadas as características ímpares da organização.
Rui Gonçalves recordou o grande momento da vitória no GP Portugal em 2009, em MX2, ano em que se sagraria vice-campeão mundial, e todo o ambiente vivido no crossódromo de Águeda em torno dessa vitória histórica.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top