MXGP: “Ganhar em Águeda foi orgulho grande e uma sensação fantástica”

Rui Gonçalves

Rui Gonçalves deixou de correr este ano mas está ligado ao promotor do mundial, a Youtstrem. Em Águeda vai voltar a competir em MXGP, revelando estar a preparar-se para a prova. “Não quero perder a oportunidade de estar mais uma vez com o meu público e de lhe retribuir todo o apoio e carinho manifestados ao longo das épocas”, referiu.

A carreira de Rui Gonçalves, que de Vidago foi aprender para uma escola holandesa e se tornou piloto profissional, já vai longa. Desde 2002. Com passagem por várias equipas de referência. Com um título de vice-campeão mundial em MX2, corria o ano de 2009. Especial porque também ganhou em Águeda, o primeiro e único triunfo de um piloto luso num grande prémio de Portugal.
“Ter ganho o grande prémio em Águeda foi um orgulho muito grande e uma sensação fantástica”, confessou Rui Gonçalves, para acrescentar: “Sentir toda a gente a apoiar e ver as muitas bandeiras ao alto ficou-me marcado para sempre”.
Este ano pretende retribuir “todo o apoio que tiveram para comigo… estar com o meu público, e correr junto dele, será uma sensação fantástica!”. Só não disse se em Águeda será a sua despedida das pistas e até se emocionou: “É-me difícil dizer que é a última, fico emocionado com esta parte porque o motocross é a minha vida; irei estar presente enquanto puder, usufruindo e interagindo com o público”.
Sobre a pista do Casarão, Rui Gonçalves considera que “é atual, de acordo com as necessidades atuais e as exigências do organizador”. Segredos para ganhar? “Só um… acelerar!”. O espetáculo MXGP foi garantido em 2017 – “esteve muito público” – desejando que em 2018 “seja ainda melhor”.

ONZE PILOTOS LUSOS EM PROVA

Na derradeira semana que antecede a realização do GP de Portugal de MXGP, nos dias 14 e 15 no Crossódromo Internacional de Águeda, a lista de pilotos lusos que vão participar em três das quatro classes que estarão em pista aumentou para 11 ‘wild-cards’

Nunca antes a representação portuguesa foi tão numerosa numa prova do campeonato do mundo, com os 11 pilotos divididos por três classes: MXGP, EMX 250 e WMX, sendo a competição feminina a mais representada pois serão cinco as pilotos em prova, às quais se juntam mais quatro representantes na prova do Europeu 250 (EMX 250) e dois pilotos na classe maior (MXGP).
Rui Gonçalves será naturalmente o líder da ‘armada lusitana’ e depois de 16 anos de participação consecutiva no campeonato o piloto de Vidago quer no próximo fim-de-semana estar junto do seu público, aquele que o viu vencer no traçado bairradino em 2009 num dos momentos mais marcantes da sua carreira desportiva. Ao lado do vice-campeão do mundo de 2009 na classe maior estará Paulo Alberto, aos quais se junta o quarteto composto por Diogo Graça, Luis Outeiro, Bruno Charrua e André Sérgio no EMX 250 e ainda as cinco senhoras com Joana Gonçalves, Ana Alves, Filipa Leite, Ana Santos e Tatiana Graça.
Pilotos e equipas começam a ‘montar’ a aldeia do MXGP a partir de quinta-feira no paddock do Crossódromo Internacional de Águeda, que estará pronto para acolher a quinta ronda do campeonato quando na manhã de sábado os motores se começarem a ouvir na pista bairradina.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top