O Mágico inaugurou obra de “coragem e persistência”

O Mágico, na Giesteira (Águeda)

“Um grande motivo de orgulho para nós todos”, disse Carlos Abrantes, a propósito da cerimónia de inauguração do centro social de O Mágico – Centro de Apoio Social, Cultural e Recreativo

Carlos Abrantes, presidente da direção de O Mágico, lembrou, na cerimónia de inauguração no sábado, que os últimos cinco anos “foram particularmente difíceis e exigentes”. Cinco anos que, segundo aquele dirigente, foram marcados por “duras batalhas” e “muitos dias de incertezas e de angústias”.
“As nossas dificuldades começaram logo após a candidatura ao financiamento”, revelou Carlos Abrantes, lembrando as “alterações aos projetos” que foram impostas à instituição, o que fez com que a candidatura ficasse com “uma estimativa muito baixa”, tendo sido esse o valor que “serviu de base à comparticipação pública, tornando o Mágico na obra do PARES II com a percentagem de comparticipação mais reduzida”, o que – continuou o dirigente – “nos obrigou a recorrer a empréstimos bancários suplementares e a empréstimos particulares para poder honrar os nossos compromissos”.

O Mágico

O Mágico celebrou 20.º aniversário no mesmo fim-de-semana em que inaugurou a sua obra social

(leia mais nas edições e-paper e impressa)

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top