Obras no exterior da Igreja Matriz estão concluídas

As obras de restauro da igreja arrancaram no dia 2 de julho

Estão concluídos os trabalhos de restauro geral da parte exterior da igreja matriz de Santa Eulália de Águeda. Fica a faltar apenas algum trabalho nos espaços envolventes e a manutenção das madeiras. A obra esteve a cargo da empresa Pereira & Brandão, de Barrô.

As obras incidiram na reabilitação das coberturas, com a substituição de 13 mil peças cerâmicas e ainda a aplicação de um sistema de impermeabilização, isolamento, ventilação do telhado, resistência aos ciclos de gelo e degelo, para evitar condensações e melhorar substancialmente a eficiência energética.
As paredes exteriores foram lavadas e descontaminadas e removidos todos os rebocos podres ou danificados. Depois foram regularizadas com a aplicação de massas antialcalinas, armada com rede de fibra de vidro e aplicada tinta branca. Os muitos granitos também foram limpos, descontaminados e receberam uma camada de hidrófugo para melhor conservação.

150 MIL EUROS NA 1ª FASE

As obras realizadas, na primeira fase, e que agora chegam ao fim importaram num valor global de 150 mil euros, dos quais 145 mil euros foram para a empreitada e os restantes para trabalhos realizados por administração direta.
A paróquia não contou com apoio do estado apesar de, em 2016, ter elaborado, com o apoio da câmara municipal, uma candidatura que entregou na CCDRC (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro), tendo o processo transitado para o ministério. Mais tarde, houve a informação que, devido ao fogo de Pedrógão, todas as candidaturas foram canceladas pelo ministério da Administração Interna.
Para angariar os fundos necessários, a paróquia tem realizado, depois de pagas as obras de ampliação do CEFAS e residência paroquial, vários eventos, nomeadamente o cantar dos Reis.

“AINDA FALTAM 70 MIL EUROS”

Em 2018, lançou a “Campanha das telhas”, tendo conseguido angariar 12.630 euros, mas ainda faltam 70 mil euros para liquidar a empreitada. Para isso, está a ser realizado um peditório nas empresas locais e, durante o mês de novembro, um grupo de delegados paroquiais irão bater a todas as portas da paróquia, solicitando um contributo. Numa primeira fase serão contactadas as pessoas e entregue um desdobrável com informações sobre as obras realizadas e como proceder para ajudar.
“A paróquia já tem recebido alguma colaboração financeira de algumas pessoas, mas é insuficiente”, sublinha fonte da paróquia, acrescentando que “também tem recebido gestos simpáticos, nomeadamente do grupo dos acólitos que fizeram um peditório no mercado e da Conferência Vicentina, que há mais de quarenta anos faz o seu peditório anual “Pão para Todos” e que este ano não realiza o peditório nas casas para que as pessoas possam ser mais generosas para as obras da igreja”.
Também este ano não vai haver o tradicional Cantar dos Reis para não sobrecarregar com mais um peditório, mas será substituído pelo “Encontro dos Reis”, no dia 12 de Janeiro, no Cefas.
“A igreja matriz de Águeda é um dos espaços mais nobres e valiosos da cidade e do concelho. É um património comunitário que urge conservar para deixar preservado para as gerações do futuro. Aos cristãos e a todos os aguedenses, não importando a religião, é lançado o desafio de colaborarem numa obra que está ligada a algum momento marcante da história pessoal de muitos aguedenses que cá estão ou que estarão em qualquer parte do mundo”, apela fonte paroquial.
Começou a primeira intervenção, em 2018, pelo exterior para acabar com algumas infiltrações e rachadelas. É necessário também uma intervenção no interior, mas devido aos elevados valores que poderão exigir e à necessidade de maiores estudos, dada a especificidade das intervenções, só avançarão mais tarde.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top