Paula Cardoso pediu justiça e imparcialidade no tratamento da Câmara para com as Juntas

A deputada aguedense à Assembleia da República, Paula Cardoso, interveio no período reservado à intervenção do público, para dar nota da sua “tristeza e decepção pelos factos e episódios que nos últimos tempos tem invadido a vida política de Águeda”. A deputada interveio na qualidade de presidente da seção de Águeda do PSD e deputada eleita pelo distrito à Assembleia da República.

Paula Cardoso falava do corte nas delegações de competências da Câmara em três Juntas de Freguesia, lideradas por eleitos do seu partido: Valongo do Vouga, Agadão e Óis da Ribeira. Falou de princípios “que devem reger a nossa conduta enquanto protagonistas do poder local ou nacional”, nomeadamente o princípio da justiça e imparcialidade, defendendo que “se devem tratar de forma justa e imparcial todos os cidadãos, actuando segundo rigorosos princípios de neutralidade”.

“Fico contente por a Dra. Paula Cardoso, à falta de outros palcos que não lhe dão, aproveite este palco para exprimir as suas opiniões, mas fico preocupado quando vejo um presidente da comissão política a substituir-se aos deputados”, respondeu Gil Nadais, presidente da Câmara de Águeda.

(MAIS INFORMAÇÃO NAS EDIÇÕES E-PAPER E IMPRESSA DO REGIÃO DE ÁGUEDA)

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top