Primeiro-ministro inaugura Centro de Artes de Águeda

Centro de artes de Águeda

O Centro de Artes de Águeda (CAA) abre as suas portas ao público no dia 11 de maio, quinta-feira, com um programa de inauguração que se estende ao longo de três dias. A cerimónia será presidida pelo primeiro-ministro António Costa.

No dia 11, a cerimónia de inauguração é seguida do espetáculo Alma – Cantata Profana, op.23 (2008), às 21h30 e inaugura-se também A Coleção (Reloaded), uma exposição de artes visuais que reúne obras de conceituados artistas nacionais e internacionais.
Alma – Cantata Profana é uma obra com música de Luís Cardoso, textos de Manuel Alegre, interpretada pela Orquestra Municipal de Águeda e pelos grupos corais locais: Coral Polifónico Cantate Iubilo, Coro Juvenil do Conservatório Águeda, Coro Misto da Cruz Vermelha, Coro Sul Family, Grupo Coral da Santa Casa da Misericórdia de Águeda, Grupo Coral Jovem de Arcel, Grupo Coral Ré-Canto, Orfeão de Águeda, Orfeão de Barrô, Orfeão de Recardães, Orfeão do Paraíso Social de Aguada de Baixo, num total de 300 coralistas em palco. Tem ainda como solista por Margarida Reis (mezzo-soprano).
A Orquestra Municipal de Águeda, sob a direção do maestro Luís Cardoso, interpretará ainda a obra “A Chaminé”, em estreia, e “Double Concertino for Tenor Saxophone, Tuba and Band”, tendo como solistas Mário Marques (saxofone tenor), Sérgio Carolino (tuba). Estas duas obras também são da autoria de Luís Cardoso. A intervenção de vídeo é de André Tentúgal. A noite termina com uma performance audiovisual, do projeto Boris Chimp 504.

EXPOSIÇÃO E ESPETÁCULOS

A inauguração da exposição A Coleção (Reloaded) marca também a abertura do novo equipamento cultural municipal com uma seleção de obras de artistas de renome nacional e internacional. Sexta e sábado sobem ao palco a Orquestra Gulbenkian e uma referência do jazz, Jane Monheit, respetivamente.
A Orquestra Gulbenkian apresenta Música dos Animais, um concerto com um programa encantatório e bem-humorado que inclui, entre outros, o interlúdio O Voo do Moscardo da ópera A fábula do Czar Saltan, e O Cisne de Camille Saint-Saëns.
Os bilhetes para o espetáculo Música dos Animais da Orquestra Gulbenkian e para o concerto de Jane Monheit são gratuitos e devem ser levantados (no máximo de 2 bilhetes por pessoa e por espetáculo) no CAA, a partir do dia 8 de maio.
“Afirmar Águeda como um destino cultural” é o objetivo da autarquia com o novo equipamento, “promovendo desta forma políticas culturais diversificadas na formação de novos públicos, valorização do património e da memória local, bem como a atração de visitantes”. O investimento no Centro de Artes de Águeda ronda os quatro milhões de euros.
Segundo Gil Nadais, presidente da Câmara Municipal, “Águeda atingiu um patamar em termos de ofertas culturais, que não se adequa às caraterísticas das infraestruturas existentes e já tivemos produtores e artistas que se recusaram a apresentar o seu espetáculo por os palcos existentes não terem condições cénicas. Queremos que Águeda esteja no itinerário das grandes produções nacionais e internacionais, dado que a experiência revela que as ofertas culturais geram externalidades positivas para a hotelaria, para a restauração e para o comércio”.

EXPOSIÇÃO

A exposição A Coleção (Reloaded), com curadoria de João Silvério, seleciona obras de conceituados artistas nacionais e internacionais, numa leitura abrangente do espólio de Norlinda e José Lima. O industrial aguedense, desde cedo apaixonado pela arte contemporânea, tem reunido ao longo da sua vida uma vasta coleção de arte, que agora tem o prazer de partilhar na sua cidade. Leon Golub, Julião Sarmento, Rui Chafes, Helena Almeida, Daniel Blaufuks, João Onofre, são apenas algumas das grandes referências incontornáveis que integram uma exposição multidisciplinar, com obras de pintura, escultura, vídeo, e fotografia, resgatando contextos culturais diversos.
Esta exposição ficará patente no Centro Cultural de Águeda até ao final do ano, proporcionando visitas guiadas e outras atividades ancoradas nas obras expostas.

CENTRO DE ARTES DE ÁGUEDA

O Centro de Artes de Águeda (CAA) está equipado com um auditório com cerca de 600 lugares, um espaço para atividades pedagógicas, um café-concerto, uma zona expositiva e uma livraria.

Centro de Artes de Águeda, trabalhos finais

Centro de Artes de Águeda, trabalhos finais ainda decorrem

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top