Quercus lança guarda-rios

Poluição no Rio Cértima

No início de ano 2018, a Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza, lançou uma ação nacional denominada “12 meses/12 iniciativas” com o objetivo de chamar atenção para 12 problemas ambientais que ocorrem em território nacional e para os quais urge encontrar soluções

A Quercus alerta para as “ameaças” que atingem os rios e ribeiras da região e “exigir” a promoção de ações de gestão ativa e de restauração destes habitats. “Apesar da proteção legal e dos compromissos assumidos, estes habitats continuam sujeitos a uma forte degradação originada por um grande número de ameaças”, refere a Quercus Aveiro.
A poluição da água, o assoreamento “acelerado” e o “descontrolo” com a “proliferação” de algumas espécies exóticas invasoras (fungos, plantas e animais, assim como seres vivos microscópicos que se encontram fora da sua área natural de distribuição, por dispersão acidental ou intencional) nos espaços aquáticos são situações negativas que a Quercus evidencia. “Em causa estão, nomeadamente, o jacinto-de-água, a azola, a elódia, a pinheirinha, no caso das plantas, ou o lagostim-vermelho, o achigã, a tartaruga-americana, no caso das espécies animais”.
O Núcleo Regional de Aveiro considera “inaceitável” que se verifiquem “situações de incumprimento sistemático de diversas entidades e empresas da região”. A fiscalização “continua a ser insuficiente” e a aplicação de sanções e suspensão ou cancelamento de licenças de descarga, sempre que se verificam situações de incumprimento sistemático, continua a ficar “aquém do esperado”.
Por isso, a Quercus Aveiro lança a iniciativa guarda-rios, apelando a todos os cidadãos da região que visitem regularmente os seus rios e ribeiras para verificar o estado de saúde dos ecossistemas, nomeadamente a existência de pesca ilegal, o despejo de lixos, entulhos e outros resíduos, a alteração ilegal do uso do solo com construções, aterros e abertura ou alargamento de caminhos, o despejo de efluentes não tratados, e a existência de espécies invasoras como a acácia e a mimosa.
Os cidadãos devem enviar fotografias e vídeos das situações detetadas para a aveiro@quercus.pt, ou através da página de Facebook da Quercus Aveiro, localizando os focos de poluição para a recolha de amostras e denúncia pública.
A Quercus apela também às escolas da região que adiram a este desafio e promovam ações locais de monitorização, tornando os seus alunos em “autênticos guarda-rios”.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top