Caves Primavera: “Queremos ser a marca de excelência de espumantes bairradinos e portugueses”

Caves Primavera Lucenio Saraiva

As Caves Primavera, localizadas em Aguada de Baixo, estão a comemorar os seus 75 anos com várias iniciativa, nomeadamente o lançamento de dois novos produtos que pretendem homenagear os fundadores Vital e Lucénio de Almeida. Em entrevista ao RA, Lucénio Saraiva, responsável pela comunicação da empresa, fala de novos desafios, do programa de comemoração dos 75 anos e da competitividade da região da Bairrada

P> Ao longo de 75 anos foram muitas as mudanças levadas a cabo que culminaram com a recente mudança da imagem da marca. Que marcos importantes destacaria na vida da empresa?
R> Uma empresa como as Caves Primavera, ao longo dos seus 75 anos, teve muitos momentos marcantes e que poderíamos facilmente destacar. Obviamente, no passado mais recente temos a mudança de imagem da marca, que constitui um marco importante, em virtude de apresentarmos ao público uma nova identidade, um pouco mais moderna e estilizada, mas que procura manter a ligação à bela história da nossa empresa. As celebrações de marcos de aniversários como os 60 e 75 anos são momentos importantes, pois demonstram a nossa longevidade e permitem celebrar a nossa atividade. Numa perspetiva de inovação de processos temos que destacar o alargamento da nossa cave durante os anos 70, os passos importantes para a automatização durante a década de 80 e a construção do centro de vinificação durante a década de 90. Igualmente durante a década de 90 lançámos a 1ª edição do Espumante Baga, o nosso produto por excelência e com qual as pessoas se identificam e gostam tanto. Na década de 2000 alcançámos a certificação na norma ISO 9001, sendo que em 2018 obtivemos a renovação da ISO 9001:2015.

P> Como tem sido recebida a nova imagem da empresa? O processo está concluído?
R> Sim, o processo, neste momento, encontra-se concluído e, felizmente, temos tido feedback positivo. A receção positiva à nova imagem também está aliada ao facto de termos entrado e investido no marketing digital, para que este novo público pudesse criar mais facilmente uma identificação com a nossa empresa.

MERCADOS NACIONAIS
E INTERNACIONAIS
APRESENTAM PADRÕES
DE CONSUMO DISTINTOS

P> São bem aceites os vinhos das Caves Primavera lá fora e os vinhos da Bairrada de uma forma geral?
R> Curiosamente, no caso das Caves Primavera, os mercados nacionais e internacionais apresentam padrões de consumo distintos no que se refere ao consumo de vinhos da Bairrada. Em termos do mercado interno, os espumantes bairradinos apresentam uma performance muito agradável, superior à dos vinhos tranquilos da Bairrada. Temos que ter em consideração que o mercado nacional já esteve mais recetivo aos vinhos tranquilos da Bairrada. A nossa região já esteve no topo das preferências dos consumidores e o nosso objetivo, o da Comissão da Bairrada e da Rota da Bairrada é retomar uma posição cimeira, sendo por vezes um desafio para o mercado conseguir retirar o melhor de um vinho tranquilo da Bairrada ou passar a mensagem da sua grande qualidade. O mesmo não ocorre nos mercados internacionais, onde, e apesar do consumidor em geral apreciar vinhos suaves, conseguimos entrar em mercados que têm um nicho bem definido para o nosso tipo de vinho tranquilo e do qual são grandes apreciadores (como por exemplo no mercado brasileiro e norte americano).

P> Como é que acha que a região da Bairrada poderia tornar-se mais competitiva?
R> A região tem vindo a apresentar fortes melhorias em várias áreas, não só na qualidade dos seus produtos, mas também na forma como tem comunicado as suas mais-valias. A região da Bairrada tem mais potencial do que aquele que o mercado atualmente lhe atribui. Tal como noutras situações, não basta ser, é preciso aparecer todos os dias, trabalhando para expandir a sua mensagem para os mercados nacionais e internacionais. Neste sentido acreditamos que a região poderá ser ainda mais competitiva se continuar nesta evolução, a apostar na união dos seus produtores, no investimento para aumentar a qualidade dos seus produtos, evoluir as marcas Baga Bairrada e Bairrada Clássico, implementar estratégias de comunicação ainda mais ousadas e passar a mensagem que a nossa região é mais do que os espumantes. Temos vinhos brancos com imenso potencial e vinhos tintos ricos e diferenciados.

AUMENTAR A NOSSA
APOSTA NO ENOTURISMO

P> Quais os desafios da empresa que se preveem para os próximos tempos?
R> Nos próximos anos as Caves Primavera irão entrar numa nova fase, de procura de novos desafios e novas conquistas. Ao falarmos de um próximo período de 10 a 15 anos pretendemos expandir o impacto da nossa nova imagem para áreas que procuram uma marca com tradição, mas que traz novas virtudes, aumentar a nossa aposta no enoturismo, aproveitando o boom de turismo que a região de Águeda tem vindo a apresentar, implementar novos processos, produtos e dinâmicas que permitam responder aos novos desafios lançados pelos mercados internacionais e nacionais e consolidarmo-nos como a marca de excelência para os espumantes bairradinos e portugueses.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top