RD Águeda com melhor prestação fora

Bola de futebol

O RD Águeda soma mais pontos como visitante (11 em 7 jogos) que nos jogos disputados no seu campo (10 em 9 jogos) para o Campeonato de Portugal. A equipa começou bem mas caiu para a 8ª posição, com um jogo a mais que os seus adversários

Talvez não seja tão estranho assim mas o Recreio de Águeda tem melhor registo a atuar fora que nos jogos disputados no Estádio Municipal. Apesar de já ter cumprido 9 dos 17 jogos em casa – aos sete do calendário original, soma-se a inversão do jogo com o Sertanense e a antecipação do jogo com o Fontinhas -, a equipa aguedense apenas conseguiu 10 pontos no seu reduto e tem diferença negativa de golos: 9 marcados e 10 sofridos. Regista apenas duas vitórias (U. Leiria e Fontinhas) e quatro empates (todos a 1-1 com Caldas, Praiense, Sertanense e Sernache).
Três das cinco derrotas do RD Águeda são em casa (Marinhense, Condeixa e Anadia). Mais uma nota objetiva: dos últimos quatro jogos em casa, o RD Águeda perdeu estes três e apenas venceu o Fontinhas, curiosamente o jogo antecipado de 5 de janeiro.
Como visitante, o RD Águeda está ao nível da prestação das duas melhores equipas da série C: soma 11 pontos em 7 jogos, os mesmos que o Fátima em 8 jogos e menos um que o líder Praiense em 7 jogos.
Neste particular, a situação do RD Águeda não é a mais flagrante. O Anadia, por exemplo, tem apenas 8 pontos conquistados em casa (uma vitória, cinco empates e uma derrota) e 14 fora (quatro vitórias, dois empates e duas derrotas).

DE SETEMBRO A NOVEMBRO MUITO MUDOU

No percurso da época 2019/2020, o RD Águeda começou bem (três vitórias consecutivas após a derrota e o empate inicial), com 15 pontos em 10 possíveis, e mais duas vitórias para a Taça de Portugal de permeio.
Com outubro vieram os empates – três consecutivos em casa – com uma derrota para a Taça de Portugal em Pedras Salgadas. Julgava-se que a crise de vitórias ficava para trás com a exibição e o resultado (3-1) em Torres Vedras, a 3 de novembro, mas a partir deste jogo o RD Águeda fez apenas cinco pontos em 21 possíveis (quatro derrotas, dois empates e uma vitória, esta no jogo antecipado com o Fontinhas).
Até ao jogo de Torres Vedras à 9ª jornada – apesar dos tais três empates consecutivos caseiros (Praiense, Sertanense e Sernache) a juntarem-se ao do Caldas, logo à 2ª jornada – o RD Águeda apresentava uma sequência de quatro vitórias e quatro empates (16 pontos em 24 possíveis) a seguir à derrota na estreia, em Santarém.
Após Torres Vedras, assiste-se a um período bem mais modesto, que se traduz em pontos (os tais cinco somados) mas também em golos marcados e golos sofridos. Nesta caso, o RD Águeda sofreu nos últimos sete jogos tantos golos (8) como nos nove jogos anteriores.
Ofensivamente, o RD Águeda fez apenas cinco golos (três numa única partida e quatro jogos em branco) nestas últimas sete jornadas, quando havia marcado 12 golos nas nove jornadas anteriores.
Diga-se, contudo, que só por quatro vezes o RD Águeda marcou mais que um golo por jogo no campeonato: três golos em Torres Vedras e em casa com o Fontinhas e dois golos nos jogos fora com Benfica de Castelo Branco e Sp. Ideal.
Contas feitas, e quando lhe falta disputar um jogo da primeira volta (em Fátima, a 12 de janeiro), o RD Águeda está a meio caminho entre quem está em posição de ir ao play-off da subida e de ser despromovido. Porém, como o quadro que apresentamos demonstra, há um ano o RD Águeda somava apenas mais três pontos, os mesmos golos marcados e apenas menos um sofrido, fazendo uma segunda volta tão positiva que atingiu os 60 pontos e o quarto lugar na série B.

(leia análise à época dos clubes de Águeda, em futebol e futsal, na edição impressa de 31 de dezembro de 2019)
Autores

Notícias Relacionadas

*

Top