Recreio protesta jogo da Taça de Portugal

Bola de futebol

O Recreio de Águeda registou “várias situações irregulares” em Montalegre, que foram objeto de uma participação entregue esta terça-feira pelo clube para apreciação pelo conselho de disciplina da Federação Portuguesa de Futebol

“A presença do treinador principal do CD Montalegre, José Manuel Luís Reis, que se encontra a cumprir de jogos suspensão, estando assim impedido de exercer as suas funções nas zonas técnicas do estádio, durante as duas horas antes do início do jogo oficial e até trinta minutos após o seu termo”, foi motivo da participação do Recreio de Águeda ao órgão federativo. “Foi notória a presença e permanência em zonas técnicas exclusivas aos elementos das equipas constantes da ficha de jogo, tendo sido inclusivamente identificado pela GNR e Delegado da FPF ao intervalo do jogo a sair do balneário, onde esteve a instruir a equipa”.
Num comunicado à imprensa, o Recreio frisa “que o treinador expulso não pode contactar com a equipa, antes, durante e depois do jogo, pelo que não há qualquer dúvida que a sua presença antes do jogo e durante o intervalo é uma clara violação ao impedimento disciplinar”.
Segundo o Recreio, “o clube tem conhecimento da suspensão do seu treinador e criou as condições para a proximidade e orientação da equipa, tendo ainda prevaricado ao lançar pirotecnia durante o jogo, ao intervalo e no final a partir do interior do recinto desportivo quando ainda se encontravam jogadores em campo e todos espectadores na bancada. O clube deu ainda instruções aos apanha bolas para se afastarem do campo no início da segunda parte do jogo, dando mais uma prova de falta de fairplay e anti-jogo”.
O Recreio de Águeda pretende que se aplicada a justiça disciplinar e o CD Montalegre “seja eliminado da competição antes do sorteio da 5.ª eliminatória da Taça de Portugal Placard”, marcado para quinta-feira.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top