“Recrutamento de recursos humanos afeta” as IPSS – Paraíso Social

Maria Elisa Gonçalves, presidente do Paraíso Social

O Paraíso Social comemora 20 anos, com um jantar marcado para sábado, dia 23, a partir das 19h30, no salão da Junta de Freguesia. Elisa Gonçalves, presidente da direção, faz um “balanço francamente positivo” destes 20 anos, fala da situação financeira da instituição que classifica de “razoavelmente equilibrada” e das principais dificuldades que passam sobretudo pelo recrutamento de recurso humanos

P> A comemorar 20 anos, que balanço faz do percurso do Paraíso Social?
R> Em nosso entender, o Paraíso Social tem cumprido no essencial e de um modo geral os fins para o qual foi criado, ou seja, prestar assistência à população mais idosa e carente nas valências de ERPI (estrutura residencial para pessoas idosos), CD (centro dia) e SAD (serviço apoio domiciliário), principalmente para pessoas da freguesia e lugares limítrofes.
Pelo que atrás fica exposto, pensamos que o balanço do percurso é francamente positivo.

P> Quantos utentes tem, atualmente, a instituição?
R> Na ERPI tem 50 utentes, no centro de dia 20 e na SAD igualmente 20.

“SITUAÇÃO FINANCEIRA RAZOAVELMENTE EQUILIBRADA”

P> Quando são conhecidas dificuldades no seio das IPSS de uma forma geral, como está financeiramente a instituição?
R> Com uma gestão de recursos que procuramos que seja a mais cuidada e rigorosa possíveis, a nossa instituição está, atualmente, numa situação financeira razoavelmente equilibrada, tendo sempre presente que a qualidade dos serviços que prestamos nunca possa ser posta em causa.

P> Quais têm sido as principais dificuldades que tem enfrentado a direção?
R> As principais dificuldades que enfrentamos, neste momento, prendem-se essencialmente com o recrutamento dos recursos humanos, problema que pensamos ser transversal a todas as instituições do género instaladas na nossa zona geográfica.

P> Quais os principais problemas que enfrentam no dia-a-dia da instituição?
R> Os principais problemas que enfrentamos no dia a dia são sem duvida alguma o cuidar e zelar do bem estar dos nossos clientes, não podendo esquecer que tratamos de pessoas com as mais variadas carências, algumas totalmente dependentes e sentindo também que temos a obrigação de lhes proporcionar a dignidade a que todo o ser humano tem direito principalmente nesta fase da sua vida.

IMPORTÂNCIA  DA INSTITUIÇÃO PARA A COMUNIDADE

P> Como definiria a relação entre a comunidade e a instituição?
R> Podemos definir como normal a relação entre a comunidade e a instituição, tendo, porém, algumas duvidas se não haverá ainda parte da população que não saberá dar o devido valor ao trabalho executado pelo Paraíso Social e a importância que representa para Aguada de Baixo.

P> Estão previstas algumas novidades para o próximo ano?
R> Neste momento, não estão previstas quaisquer novidades para o próximo ano. No entanto, o Paraíso Social procurará continuar como até agora a prestar os seus serviços à comunidade e se possível tentar sempre melhorá-los.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top