Região de Águeda | edição n.º 1092

Região de Águeda, edição de 15 de janeiro de 2020

A edição da semana do Região de Águeda destaca a situação interna no PSD/Águeda, com a comissão política a retirara a confiança aos membros da assembleia municipal eleitos pelo partido e estes a reagirem, explicando os motivos porque haviam suspendido os seus mandatos.

Outro destaque na edição do Região de Águeda para as obras na Casa do Adro, que de residência para a nobreza desde o séc XVIII passou a ser um espaço de cultura em Águeda, albergando o Conservatório de Música de Águeda (no edifício principal), a Orquestra Típica de Águeda e o Grupo Típico O Cancioneiro de Águeda. O investimento municipal, que inclui os arranjos exteriores, é de um milhão de euros. A intervenção estará concluída em julho próximo.

O Região de Águeda lançou mais um tema na projeção do futuro: os desafios da nova década para Águeda. Depois dos presidentes de junta terem contribuído com a sua visão na edição passada, é agora a vez de autarcas eleitos para a câmara e a assembleia municipais.

O falecimento de Paulo Gonçalves no Dakar é assunto destacado pelo Região de Águeda. O piloto esteve ligado ao projeto “Águeda, capital do motocross” e é recordado pelas coletividades de Águeda que estão na histórias dos mundiais de MXGP que têm na pista internacional do Casarão o prestigiado Grande Prémio de Portugal.

Destaque ainda na primeira página do Região de Águeda para a entrevista com o TEA – Teatro Emergente de Aguada de Baixo. Joaquim Vargas, encenador, fala do projeto, que completou 16 anos e realizou, até à data, 130 espetáculos presenciados por mais de 40 mil espetadores.

A edição da semana do Região de Águeda está disponível nas versões e-paper e impressa.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top