Segadães: CASAS fica sem crianças mas aposta nos idosos

Márcia Saraiva, diretora técnica do CASAS, de Segadães

“As crianças do CATL e do CAF vão ser transferidas da escola de Segadães para o novo polo educativo da Trofa mas “isso não é relevante para o nosso funcionamento”. Márcia Saraiva, diretora técnica do CASAS, instituição particular de solidariedade social sediada em Segadães, justifica: “Estamos a apostar na área dos idosos já desde 2007 e, estando a pirâmide invertida, é essencial que se faça esse apoio”.

Analisando a rede social do concelho, aquela responsável considera que Águeda “é um exemplo para o país, um concelho que está muito bem orientado a nível social”. A diretora técnica abriu o CASAS – Centro de Apoio Social e de Animação de Segadães – à reportagem do Região de Águeda (leia nas edições e-paper e impressa desta semana), defendendo as parcerias como “estratégia central” da instituição.

HORTA PEDAGÓGICA VAI AUMENTAR

O CASAS foi fundado em 1992. Dispõe atualmente das valências de CATL (centro de atividades de tempos livres) com 35 alunos da escola de Segadães; de CAF (complemento de apoio à família) com 15 crianças do pré-escolar de Segadães; de SAD (serviço de apoio domiciliário) com 24 utentes; e centro de convívio.
Dispõe ainda de uma loja social ou bazar social, uma lavandaria (inserida no apoio domiciliário mas aberta à comunidade), diversos apoios técnicos e uma horta pedagógica. Neste caso, dispondo de um terreno junto às instalações sociais. Todavia, a instituição vai aumentar a horta, utilizando um outro terreno, com o objetivo de produzir para consumo próprio mas também para venda. “Vamos fazer uma experiência e ver se compensa, pois visa contribuir para a sustentabilidade da instituição”, referiu Márcia Saraiva, diretora técnica desde 2009.
A instituição de Segadães tem ainda protocolos com a Câmara Municipal para servir refeições e transportar alunos.

(leia reportagem nas edições e-paper e impressa)

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top