Sistema de reabilitação domiciliária para doentes de AVC

Marlene Rosa

Um novo projeto de investigação, liderado por investigadora natural de Oliveira do Bairro, pretende adaptar a tecnologia biofeedback ao tratamento de doentes de longa duração com sequelas funcionais de AVC, em ambiente domiciliar

A decorrer no Instituto Politécnico de Leiria, este foi um dos 15 projetos contemplados com uma das Bolsas de Ignição financiadas pelo INOV C 2020, um projeto com fundos do FEDER que pretende alavancar ideias de empreendedorismo e inovação a nível nacional.
O objetivo da investigação é a criação de uma interface gráfica, para computador ou tablet, com programas de exercícios destinados especificamente à reabilitação de pacientes que sofreram de um AVC. Um sistema de recolha, filtragem e amplificação do sinal eletromiográfico permitirá monitorizar os parâmetros do paciente em cada sessão realizada em casa. Os dados armazenados são posteriormente analisados pelos terapeutas e profissionais de saúde, de forma a acompanhar a evolução do paciente, alterar o tratamento ou prescrever novos exercícios.
“A principal vantagem do projeto é a autonomia proporcionada aos pacientes crónicos na recuperação de um AVC. A reabilitação depende em parte dos serviços de saúde e os índices revelam-se baixos, dado que 70% dos pacientes mantêm sequelas físicas graves depois de quatro anos. Se o tratamento for realizado no domicílio, com constante acompanhamento do terapeuta, a reabilitação será mais eficaz e o profissional de saúde poderá assistir um maior número de pacientes”, explica Marlene Rosa, fisioterapeuta doutorada em Tecnologias da Saúde e investigadora no Instituto Politécnico de Leiria.

Autores

Notícias Relacionadas

*

Top